Fotolia

03 dicas para relacionamento com o cliente

Olá, pessoas!
Uma das coisas mais difíceis dentro do nosso universo é o relacionamento com clientes. Os cursos de design não ensinam nada sobre como abordar, cobrar por um projeto, criar uma base sólida de clientes, entre outras situações rotineiras da profissão. É muito difícil saber lidar com isso. A maioria das experiências aprendidas por nós, são construídas a partir do dia-a-dia na profissão; por situações que eventualmente passamos com alguns clientes, e com isso, uma base para tratar com os mesmos. Por isso, o artigo de hoje é dedicado a dar algumas dicas para melhorar o seu relacionamento com os clientes. Simbora?

#01 – SEM CONTRATO, SEM JOB

Em começo de carreira é comum fazermos a maioria das coisas apenas usando o boca a boca. Mas com o passar do tempo e o acúmulo de experiência, essa prática já não se torna tão amigável como no começo. Uma das situações mais rotineiras encontradas nos fóruns e grupos de design são questões ligados a contratos (ou falta deles). Os contratos precisam existir em qualquer troca de serviço entre profissional e cliente. Ele serve para assegurar que os termos sejam cumpridos e também para um artefato legal contra qualquer irregularidade.

Se um cliente, por algum motivo, não cumpriu o que estava acordado e você não tem um contrato para provar isso, infelizmente não se pode fazer nada a respeito. Eu utilizo contrato para duas coisas: me assegurar de clientes ‘pilantras’ que não cumprem com os valores e exigências retratadas no contrato (não generalizando) e para passar uma ideia mais profissional do tipo de serviço que estou prestando. Quanto mais organizado e profissional você for para o seu cliente, mais confiável você será. Na nossa área, muitos dos clientes não entendem porque cobramos um valor “X” por um projeto, com um contrato e uma boa comunicação para explicar o que você vai fazer esse entendimento se amplia. Claro que nem em todas situações é necessário usar um contrato, existem situações que você pode confiar mais na pessoa (especialmente se for alguém próximo, como um parente ou amigo); mas se for um projeto mais robusto, certamente você precisará.

Procure fazer um contrato viável para os dois lados. Não faça um contrato que só beneficie você; talvez usando prazos muito longos e que façam você se acomodar ao decorrer do trabalho. Entenda qual a necessidade que ele/ela precisa para aquele projeto (as vezes um prazo muito grande não vai funcionar para o cliente). Tente sempre acordar metade do valor antes e outra metade ao finalizar. Isso faz com que os dois lados garantam que cumprirão o contrato.

Na internet existem vários tipos para você baixar e alterar ao seu modo. Aconselho que você comece a usar para seus projetos. Pode ter certeza que seu público lhe verá com outros olhos.

#02 – SEJA TRANSPARENTE

Uma das coisas que mais irritam o cliente é quando o designer tenta fazer ele de bobo. O seu público percebe quando você está dando aquela enrolada no trampo. Pare de ficar dando prazos que não serão cumpridos e explique cada processo do desenvolvimento.

#02.1 – Prazos não cumpridos

Quando perceber que o prazo estabelecido não vai dar tempo, avise o cliente e explique os motivos. Não importa se é algum problema pessoal, equipamento que quebrou ou outra coisa… apenas avise-o e converse na ideia de conseguir uma extensão de prazo para o projeto. Só não fique dizendo que vai enviar no final de semana e quando chegar no dia, o projeto não estar pronto. Isso irrita qualquer pessoa. É mais prático você deixar o cliente ‘irritado’ com um motivo justo e entendível, do que está falando mentiras o tempo todo. Isso faz qualquer pessoa não ter confiança no seu trabalho e consequentemente, a falta de indicação para outra pessoa.

#02.2 – Processos de desenvolvimento

Como falado antes, muitos dos clientes não entendem o que fazemos, é necessário realmente sair explicando tudo o que pretendemos fazer o os seus processos. Eles gostam de saber porque o que estão pagando. Então, nas reuniões que serão feitas, procure explicar porque o valor é aquele, quais as fazes de pesquisa e aplicação sempre enfatizando que o valor por aquilo é justo por vários motivos.

#03 – SAIBA NEGOCIAR

Lidar com clientes não é algo fácil. Dependendo do potencial do projeto ou do cliente, saber se colocar é extremamente importante. Por exemplo, existem clientes que se você pedir um valor a baixo do que ele está esperando, ele descarta você automaticamente. Ele vai entender que você não é bom o suficiente para o projeto que ele precisa. Essa situação já leva a outro ponto: quanto cobrar por um trabalho. Mas não vamos focar tanto nessa questão e tentar enxergar como negociar. Antes de tentar negociar um preço e outras coisas é interessante tentar entender bem o que a pessoa quer. Quando entender isso, você terá argumentos suficientes para poder negociar as melhores condições e valores para o projeto.

Nunca defina um valor fixo sem antes entender a necessidade do projeto. É preciso analisar bem a situação e saber negociar bem. Outro ponto a se considerar, é saber como dizer não se a situação exigir muita energia e não compensar financeiramente ou por algum termo do contrato. É sempre bom tentar intermediar a situação garantindo que o projeto será válido para os dois; e quando só beneficiar o cliente, saiba explicar o seu ponto e porque você não quer fazer daquela forma.

Não da pra ensinar isso apenas nesse parágrafo. Isso você vai ganhando com experiência e provavelmente depois de quebrar a cara algumas vezes. Por isso, esteja sempre ligado, converse com outros profissionais e absorva todo o tipo de informação que puder sobre o assunto. Eu garanto que se você tentar aplicar essas dicas, seus seguidores e potenciais clientes vão lhe dar um ar mais sofisticado e profissional.

Essas dicas te ajudaram? Gostou do artigo? Fala aí nos comentários!

Abraços!

__

A Fotolia da Adobe está com uma super novidade: agora você pode baixar 5 imagens de graça sem compromisso! Para baixar, clique aqui e aproveite. :)

Clique aqui para comentar ( )