Inspirações

A Comunicação Visual aplicada à Saúde Pública

A atuação do Designer vai muito além de apresentar um projeto adequado com conceitos claro e uma estética bacana, o que é necessário, mas, sem dúvidas, ter a possibilidade de estimular conscientemente pessoas a proporcionar uma melhoria em sua qualidade de vida.

Segundo o Paradigma de Harold Lasswell, a comunicação possui uma intenção e foi destinada a obter algum efeito, onde “para determinar a eficiência da comunicação num determinado contexto, é necessário ter em conta os valores em causa e a identidade do grupo cuja posição está a ser estudada” (Comunicação e Sociedade).

Por outro lado, a psicologia ensina através do Projeto Radix (– Biblioteca Virtual de Estudos da Comunicação e Saúde. http://www.projetoradix.com.br) que diante de uma doença, o usuário pode agir contra esta ameça e lutar ou ficar paralisado, assustados, pesando nisto a função da Comunicação com ênfase em Educação e orientação para assuntos relevantes à saúde é motivar estes usuários a conhecer sua doença e não apenas ter acesso aos males provindos, mas motivá-los a receberem um tratamento adequado e assim garantir uma qualidade de vida longe da maioria ou todas as consequências provindas de suas enfermidades e então poder repassar a mesma ideia tornando-se agentes multiplicadores desta educação em saúde.

Em tempo, campanhas educativas de Promoção à Saúde muitas vezes apresentam de forma grosseira o resultado de uma falta de tratamento ou apenas dicas superficiais o que muitas vezes não apresenta uma proposta de ação contra a doença ou propôr condições a fim de sua melhoria a partir de uma educação em saúde multidisciplinar onde profissional de diversas categorias ajudarão de forma direta a estes usuários seja na orientação nutricional ou dicas de pele e cuidado com corpo por exemplo.

Em estudo que realizei com usuários do Sistema Único de Saúde em uma Unidade de Saúde da Família constantei que estes usuários sendo hipertensos e diabéticos, dependentes SUS, buscam por campanhas com informações claras tendo como principal ênfase o uso de imagens do cotidiano sendo prática de exercícios físicos e alimentação saudável, também a tipografia utilizada em títulos e chamadas deve ser encorpada, aserifada e bem destacada.

O estudo de psicologia das cores também deve ser bem trabalhado e aplicado, uma vez que na pesquisa os usuários destacaram o uso de cores quentes e chamativas, que atraíram seus olhares, além disso o uso dessas cores podem transparecer uma comunicação mais leve, simples de uma impactante e chamativa. Para os usuários, campanhas sobre a Hipertensão Arterial reconheceram como um destaque á prática de exercícios Físicos sobre Orientação Médica e a alimentação saudável.

A partir dessas informações então, pude concluir que aqueles pacientes estavam em busca de uma comunicação visual aplicada à Saúde Pública objetiva. Pode-se afirmar que esta comunicação atinge diretamente sua postura frente ao enfrentamento da doença uma vez que para muitos apenas a educação alimentar e bons hábitos podem controlar os níveis de glicose ou a pressão arterial em seu organismo. O estudo em tela não visou apresentar um padrão para comunicação ou afirmar que este é o método mais correto e único de se planejar campanhas para estes usuários.

Por fim, para Leidjane Virães, Subintendente de Políticas Estratégias e Promoção da Saúde do Município de Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana de Recife: “No mundo atual a dinâmica da visualização é fundamental. A Mídia Visual desperta no usuário interesse de conhecer sobre sua saúde, cuidados e contribui para melhoria em sua qualidade de vida.”

 

SUS

Clique aqui para comentar ( )