Design

Design Colaborativo

Créditos: FOTOLIA ADOBE

Vivemos em uma época em que é preciso que inovemos cada vez mais rápido. Dessa maneira, existe a necessidade de ampliar a quantidade de formas de interação para a concepção de novos produtos e serviços, pois, não há como apenas nós, designers, suprirmos tal demanda.

Atuar nos cenários da atualidade, definidos como dinâmicos, fluidos, mutantes e complexos, tornou-se um desafio para os designers, tentando atingir as áreas dos atributos intangíveis dos bens de consumo, fazendo assim, o design interagir cada vez mais com outras áreas, compondo uma colaboração interdisciplinar (MORAES, 2010).

De acordo com Fontana et al (2012), o termo “colaboração” não é algo exclusivo do Design e aparece em várias pesquisas de diversas áreas de estudos e em contextos diferentes. Mostrando que a colaboração é um fenômeno inerente aos processos humanos.

Diante disso, Coutinho et al (2010), enfatiza que mediante a nova realidade de consumo, o Design Colaborativo (ou Co-design) aparece como uma abordagem alternativa para tornar o processo de projetação mais humanizado e valorizar ainda mais as interações durante o processo.

Particularmente, entendo que o Design Colaborativo veio com o intuito não apenas de fazer com o processo de design seja centrado usuário, – o que é extremamente importante – mas sim com o intuito de tornar o processo mais humanizado, fazendo com que os atingidos ou até mesmo os que serão atingidos pela concepção do produto ou serviço em questão, possam interagir e participar diretamente da concepção, o que, na maioria das vezes az com que resultados excelentes sejam alcançados.

No entanto, é válido ressaltar que tornar o processo de projetação mais interativo e adicionar pessoas nesse mesmo processo não é algo tão simples quanto parece. E aplicar o Design Colaborativo e um studio que já seguia outra maneira de projetar também não é uma tarefa fácil, pois, isso afeta todo o modo com que os envolvidos estão acostumados a projetar, podendo afetar inclusive o processo de tomada de decisão se não for guiado da forma correta.

É no contexto interdisciplinar que um empreendimento de Design aumenta sua complexidade e, consequentemente, torna-se uma tarefa essencialmente multi ator (PIIRAINEN et al., 2009).

Segundo Piiranen et al (2009), muitas vezes não viável nem tão pouco desejável para um profissional dominar todo o conhecimento necessário para a concepção de um produto ou serviço e o Design Colaborativo se mostra como uma resposta para essa questão.

Podemos até dizer que conseguimos criar um produto ou serviço sozinho, não duvido que existam pessoas que consigam imergir profundamente em um determinado “problema” para gerar uma solução viável, mas a questão é que ao trabalharmos em colaboração com pessoas de diversas áreas e com expertises diferentes, teremos mais perspectivas a serem exploradas e em um período de tempo bem menor do que se buscarmos fazer sozinhos.

Atualmente, faço uso do Design Colaborativo em todos os projetos que participo dentro da Sabiá, por isso, posso até parecer suspeito ao falar desse tema, mas acredito que o Design Colaborativo realmente é uma ótima alternativa como abordagem metodológica e também o vejo com bons olhos quando queremos mostrar um pouco do processo de design para nossos parceiros e clientes. Afinal, sabemos que o Design não é uma área tão valorizada no mercado nacional e que muitas pessoas desconhecem o que o designer faz.

Por fim, gostaria de deixar claro que visualizo o Design Colaborativo como uma abordagem projetual cujo o principal objetivo é guiar várias pessoas/instituições à um objetivo em comum, através da interação e do compartilhamento de conhecimento.

 

Referências:

  • FONTANA, Isabela Mantovani; HEEMANN, Adriano; GOMES FERREIRA, Marcelo Gitirana. Design Colaborativo: Fatores Críticos para o Sucesso do Co-design. 4º Confresso Sul Americano de Design de Interação, 2012.
  • MORAES, Dijon de. Metaprojeto: o design do design. São Paulo: Blucher, 2010;
  • PIIRAINEM, Kalle; KOLFSCHOTEN, Gwendolyn; LUKOSCH, Stephan. Unraveling Challenges in Collaborative Design: A Literature Study. 15th International Conference on Groupware: design, implementation, and use, 2009;

 

Clique aqui para comentar ( )