Design

Solta o som: como a música aumenta ou pode destruir sua produtividade

Cada vez mais se busca formas de aumentar a produtividade. Metodologias, ferramentas e “super truques” são buscados, chegando até mesmo ao uso de medicamentos.

Em ambientes corporativos a discussão gira – além da produtividade em si – em torno de fatores externos. Um deles é o ruido.

Seja pessoas conversando, som do ar condicionado ligado e diversos outros ruídos são um pesadelo para diversas pessoas. Nessa perspectiva, algumas empresas permitem para áreas diversas o uso de fones de ouvido para que haja um melhor foco nas atividades. A questão é: seja uma música ambiente ou no fone de ouvido, até que ponto é positivo ou negativo o uso de música durante o trabalho.

A resposta mais genérica é “depende”. Varia de pessoa para pessoa. O processo criativo e de produção de cada pessoa pode variar por diversos fatores: transtornos, sentimentos ou simplesmente opção. Diversas pesquisam são elaboradas e divulgadas sobre a música e o ambiente produtivo. Uma delas é o do Mindlab Internacional.

Esta pesquisa mostra que 9 em cada 10 funcionários produzem melhores resultados quando estão ouvindo música em comparação quando trabalham em silêncio.

Aqui vale uma ressalva antes de sair colocando aquela playlist super descolada no Spotify: essa pesquisa, assim como outros estudos apontam que a música é benéfica quando bem utilizadas de acordo com a tarefa à ser realizada. Uma música instrumental ou em uma língua que você desconhece pode colaborar em atividades voltadas a manipulação de dados, produção gráfica. Já se o processo é o desenvolvimento de um artigo, a letra de uma música pode interferir no processo de desenvolvimento, sendo aconselhável músicas instrumentais.

Em entrevista ao The New York Times o Dr. Amit Sood , médico da Mayo Clínic, disse que “a mente das pessoas tende a vagar”, e nós sabemos que mente vazia muitas vezes é sinônimo de infelicidade. “A maior parte do tempo estamos focando as imperfeições da vida. A música pode nos trazer de volta ao momento presente”, completa o Dr. Sood.

Outro estudo que chama atenção por estar mais próxima de nossa realidade enquanto mercado de comunicação foi o da WebpageFX, uma agência online de marketing, reuniu diversas pesquisas sobre o assunto e publicou um infográfico que foi divulgado no LINKEDIN. Confira o infográfico completo.

Cabe observar alguns dados importantes:

  • 61% dos funcionários escutam música no trabalho para se sentirem mais felizes e produtivos;

  • 88% deles realizam um trabalho mais preciso quando estão ouvindo música;

  • 77% de donos de pequenos e médios negócios acreditam que a música levanta o astral da equipe.

 

Animado? Calma!
Apesar de diversas pesquisas apontarem para um aumento da produtividade é importante levar em conta que a dopamina pode te ajudar a ter sensação de alegria, prazer e auto estima, resultando em maior foco e produtividade, contudo isso é variável. Além dos fatores que citamos acima, existem condições psicológicas que precisam de alta concentração e ausência de ruido.

Um estudo de 2010 da Universidade do Instituto de Gales mostrou que, ao precisarem decorar uma sequência de sons e números, participantes tinham mais dificuldade de lembrar das ordens quando uma música tocava baixinho ao fundo. Ou seja, se você está fazendo algo novo e complexo, o silêncio é a melhor opção. O mesmo não pode ser dito em relação a tarefas que você já sabe ‘de cor’.

Por isso, antes de propagar a “palavra da criatividade aliada a música” é importante compreender que o processo criativo e de produção varia de pessoa para pessoa. Sendo essencial a flexibilidade dos ambientes de trabalho na melhor adequação do meio à esse processo.

_______________

E você, gosta de trabalhar ouvindo aquela playlist ou prefere um bom e velho silêncio? Deixe nos comentários e também compartilhe sua opinião.

 

Clique aqui para comentar ( )