Inspirações

Pixel Art: Arte em Pixels com Bruno Moraes

Bruno Moraes é um ilustrador e programador de 23 anos, natural de Niterói/RJ. O artista começou a trabalhar com ilustração a partir de 2015 e utiliza o Adobe Photoshop CS6 na criação das suas peças digitais.

O estilo artístico de Bruno é bem característico, pois o mesmo adota a pixel art — ramo da arte digital em que consiste em criar imagens baseando-se em pixels — na composição de suas artes. Todas as suas obras nos remete ao design dos jogos arcade dos anos 80 e 90 — provocando assim, um sentimento de nostalgia aos nascidos dos anos 80 e 90.

Saiba mais sobre esse universo das artes pixeladas ao acompanhar a entrevista realizada com o fofíssimo e talentoso Bruno:

  1. Você tem um estilo de arte bem específico que é a Pixel Art. Conte-nos mais sobre a sua trajetória artística e como chegou a se estabelecer na Pixel Art.

Cresci vendo meu pai fazer mosaico, e encaixar os cacos um a um. O processo era altamente terapêutico, e eu costumo traçar um paralelo entre essas duas modalidades. A pixel art, assim como o mosaico, se baseia na construção de ilustrações a partir de pequenos pedaços que, individualmente, não significam muito. Mas em conjunto criam algo único.

Além disso, enxergo na pixel art uma maneira menos complexa de visualizar as coisas. Os ângulos ortogonais e isométricos, e as perspectivas simples que predominam no estilo dão aos trabalhos um aspecto agradável de organização e tranquilidade. Para os que nasceram nas décadas de 80 e 90 e presenciaram o início da indústria dos games, o estilo inerentemente remete à infância, que com seus muitos filtros de nostalgia é uma época guardada com muito carinho.

Este conjunto de simplicidade, tranquilidade e nostalgia da pixel art me faz sentir em casa, e me inspira para continuar estudando, e me expressando com este estilo.

  1. Seu estilo artístico é perfeito para games — sobretudo, mobile games. A par disso, quais são as suas maiores referências no processo criativo? Quais artistas que mais te inspiram?

O Tumblr e o Twitter são uma fonte interminável de inspiração para mim. Tentei limitar esta lista às referências de pixel art, e tive que me forçar a parar de adicionar nomes (risos), porque são muitos:

  • A Fulifuli faz milagres trabalhando com uma resolução muito pequena, e foi das minhas primeiras inspirações na área: http://fulifuli.tumblr.com/
  • O Midio cria cenários incríveis, usa cores de encher os olhos e destroi no sub-pixeling (técnica de animação): http://midio.tumblr.com/
  • O Michael Lambert é também gamedev e incorpora sua própria pixel art (bonita demais) nos seus projetos: https://twitter.com/wtfmig
  • O Eto que tem o trampo mais adorável de todos, na minha humilde opinião: https://twitter.com/eto2d
  • O Kyle Olson usa paletas mais limitadas, é um queridão e está trabalhando em um app de criação de pixel art para mobile, então fique de olho nele: https://twitter.com/KyleOlsonmabob
  • A Lu Nascimento usa cores maravilhosamente e manda bem tanto em pixel art quanto arte digital em geral: https://www.lucianascimento.com
  • O Daniel Oliver costuma trabalhar numa resolução maior, e tem dos trabalhos mais minuciosos que eu conheço: http://ahruon.tumblr.com/
  • O Paul Robertson é completamente louco e você certamente já viu alguma de suas animações absurdas: http://probertson.tumblr.com/
  • E o Brent Kobayashi é a exceção da lista por não produzir pixel art, mas as cores e texturas dos seus trabalhos são muito aconchegantes e preciosos, e têm sido uma enorme referência: http://www.meowza.org/
  1. Você tem algum projeto à vista? Conte-nos mais sobre os seus planos futuros.

Sim! Eu e meu namorado Fred Cassar estamos produzindo a todo vapor uma HQ que mistura o estilo de ilustração dele com o meu, se chama Space Punch e a campanha vai entrar no ar ainda esse mês no Catarse!

A história acompanha uma menina chamada Mari, que tem a chance de reencontrar um amigo de infância com quem ela perdeu contato há muitos anos. A narrativa foca num jogo de luta fictício chamado Space Punch, e enquanto o Fred ilustra todas as cenas que acontecem no mundo real, eu sou responsável pelas que acontecem dentro do jogo, e faço uso da pixel art para emular o estilo de um jogo retrô.

Nós dois estamos bastante envolvidos neste projeto, então meus planos — para um futuro mais recente — envolvem vender um monte de livros em um monte de lugares. A seguir, pretendo voltar a focar em desenvolvimento de jogos, seja contribuindo só com a arte ou também quebrando a cabeça com a programação.

  1. Quais conselhos ou dicas você daria para aqueles que querem seguir o estilo de Pixel Art?

Cada dia existe mais conteúdo relacionado que pode ajudar bastante a direcionar os estudos. É importante estar em contato com o que os outros têm produzido, e se cercar de pessoas cujo trabalho você admira. É igualmente importante não se deixar abater pelas habilidades destes mesmos artistas que te inspiram e servem de referência, porque o que fez com que chegassem neste estágio foi muita prática e trabalho duro. Por incrível que pareça, em algum momento eles também tiveram que lidar com esta mesma sensação de inferioridade. Então vamos fazendo!

Uma das práticas que eu mais gostava quando peguei para aprender essa modalidade, era traduzir personagens e cenários de desenho animado para a pixel art. Eles inevitavelmente ficavam adoráveis e isso foi um estímulo para continuar praticando.

Estudo feito em 2012 por Bruno Moraes.

Estes estudos, utilizando elementos que tinham um significado para mim, foram de grande valor para me deixar confortável com as ferramentas mais importantes e me habituar com o funcionamento do software. Só a partir deste ponto, me senti confiante o suficiente para experimentar, criando meus próprios personagens e cenários. Mas nunca deixei de usar referências. Saber utilizá-las a seu favor enriquece a sua arte e auxilia a gradativamente criar seu estilo próprio.

Reúna este amontoado de informação e cultura pop que te cerca o tempo inteiro, e o transforme em uma maneira de se expressar. Pratique sempre que possível.

Inspire-se mais com Bruno, basta seguí-lo em suas redes sociais para saber das novidades: twitter, instagram, facebook e tumblr.

Clique aqui para comentar ( )