Design

Redesign sutil no logo da Design Culture

Olá, pessoas!

Somos acostumados a ver grandes marcas com um novo rebrand, principalmente nos últimos 2 anos. Dessa vez, a queridinha DC fez o mesmo. Calma, não mudamos totalmente, mas, apenas deixamos toda a identidade mais proporcional. O projeto foi orquestrado pelo querido Pedro Panetto (já temos um outro artigo com ele, clique aqui e veja), que falou um pouco desse processo na nossa curta entrevista nesta matéria de lançamento do novo logo da Design Culture.

Para Iran Pontes, fundador da Design Culture, a proposta era ser algo sutil, porém que trouxesse inovação: “Nossa ideia era ser algo sutil, para manter toda a identidade já consolidada na mente dos nossos leitores ao longo dos 5 anos de história, mas, precisávamos inovar em algo; mudar e crescer. Convidar o Pedro Panetto para o projeto foi de fato a melhor escolha. Ele conseguiu sentir nossa necessidade de mudança necessária, mas, não radical e trabalhou bem dentro dos nossos conceitos de inovação, comunicação e crescimento. A aplicação da proporção áurea e seus estudos trouxeram não só equilíbrio visual como inovação ao projeto que agora está adequado às plataformas variadas e projetos”, disse. E por fim, você pode conferir abaixo o resultado final do projeto que será aplicado a partir de hoje em nossas mídias on e off e uma comparação com o logo anterior.

A Marca 

A intenção não era criar algo totalmente novo, mas, estabelecer um padrão mais proporcional. O sutil redesign se estabelece para o novo desenho do símbolo – o balão de comunicação, fala e dá um arranjo gráfico melhor para a composição. Dentro da razão áurea, o símbolo ficou mais dinâmico, com mais movimento e muito mais harmonioso, incluindo o fato de sua leve inclinação remeter ao crescimento. Outro ponto positivo é que a identidade, agora é adaptável para várias aplicações, compreendendo os muitos projetos que a DC é envolvida como empresa de cursos e treinamentos e Portal.

 

Processo Criativo 

As técnicas utilizadas, como mencionado, partiram da Razão Áurea. O embasamento do Pedro para a orientação dessas formas foi primordial para o resultado. Acompanhe um pouco do processo criativo em nosso entrevista com o Pedro Panetto:

1 – Como foi pra você trabalhar no projeto de um dos maiores blogs de design e comunicação do Brasil?

“É desafiador e uma grande honra. É um projeto para designers, de uma marca já muito bem veiculada, é um público exigente. E além disso, tudo que envolve a palavra “redesign” atrai debates e facilmente gera polêmicas. Nem todo mundo aceita mudanças, sempre tem a quebra do status quo, e não importa se você faz algo ruim ou bem feito, sempre haverão críticas. Então é o tipo de projeto que você entra consciente do desafio.

E além disso, o DC é o blog de um grande amigo meu, o Iran Pontes. Sendo assim, acaba sendo aquela mistura de projetar algo para um amigo (que também é designer) e ao mesmo tempo estar atuando em um projeto com abrangência tão grande.”

2 – Quais e como você definiu os principais conceitos para o projeto?

“A marca da Design Culture já se encontrava nas ultimas fases do seu registro e agora acaba de ter seu registro oficializado. Desse modo, o redesign não poderia ser radical. Eu deveria retrabalhar as formas de modo muito sutil. Essas foram as diretrizes do projeto: trabalhar as relações dos grids aplicando a Proporção Áurea; aperfeiçoar a cor da marca; e trabalhar nos arranjos visuais. Todo isso seguido da regra: não mudar a marca. Seria um redesign no que podemos comparar com a Coca-Cola, na qual tem os seus traços aperfeiçoados de tempos em tempos, mas sem alterar a marca em si… apenas singelos aperfeiçoamentos dos traços e forma.”

Animated GIF - Find & Share on GIPHY

3 – Que objetivos pretendiam ser alcançados no processo criativo?

“Reequilibrar os elementos, dar um ar mais otimista para o símbolo e redefinir o tom de vermelho (novamente sem fugir muito do atual).”

4 – Fale um pouco dos desafios que apareceram ao decorrer do projeto. O que foi mais difícil?

“A marca deveria ser a mesma, e ser diferente ao mesmo tempo. Isso é desafiador. Principalmente na questão da Proporção Áurea, pois quando eu faço um projeto, já tenho na minha mente como aquilo vai fluir para alguma estrutura proporcional. O diagrama já vem surgindo com os esboços… mas no caso de algo existente e que deve ser mudado apenas de modo sutil, aplicar a proporção ali fica difícil. Foi um pouco mais desafiador do que eu imaginei no começo, mas deu tudo certo. ”

5 – Como foi o processo criativo do redesign?

“Podemos definir como limitado e simples, a ideia era apenas aperfeiçoar as estruturas e não desenvolver uma marca nova.”

6 – Quais caminhos e seguimentos foram seguidos para o resultado final?

“Usei minha metodologia normal de projeto, mas pulando as fases aonde desenharia os esboços das ideias. Os esboços já começaram das tentativas de recriar aquele balão pautado na Razão Áurea.”

7 – Todas essas técnicas e metodologias podem ser aprendidas no seu curso?

“Sim, todas elas e muito mais. No meu curso eu priorizei uma versatilidade em formas de se usar a Proporção Áurea, assim você pode aprender e ficar bem flexível sempre que desejar usar.”

São pequenas mudanças mas que representaram essa nova etapa aqui na DC. O pessoal da equipe ficou bem satisfeito com o resultado e estamos realmente felizes e todas essas mudanças são feitas pensando em vocês, nossos queridos leitores que nos inspiram a cada dia. Curtiram o nosso curto processo de redesign? Confira mais abaixo.

Clique aqui para comentar ( )