Design

Somos designers de verdade?

Olá, pessoas!
Você se considera um designer? Espera que vou reformular a pergunta: Por que você se considera um designer? Será que é porque você aplica as metodologias de design em projetos de comunicação visual, moda, produto… ou simplesmente porque executa um determinado software?!

Se observarmos os últimos anos, o aumento de cursos relacionados a softwares e ferramentas tem aumentado. Praticamente todos os dias nos deparamos com um curso de AI, C4D, AF e assim vai… Claro, a internet se disseminou muito nesses últimos anos, naturalmente, o uso dela como forma de aprendizado é totalmente normal. Hoje, você aprende praticamente quase ‘tudo’ sobre uma profissão através da internet (o que facilita muito o acesso de conteúdo para qualquer tipo de pessoa). Mas, neste segmento tão confuso e com tantos nichos, o que é ser designer!?

Há tanta preocupação em se usar o Ai, CorelDraw ou PS, mas pouca preocupação em entender fundamentos e teorias do design; mas do design de essência mesmo. Não o design que é formatado dentro de uma gráfica rápida e que os clientes pensam que é ‘apenas uma artezinha’. Pode observar, existe uma porrada de cursos sobre softwares, mas quase nenhum sobre a teoria do design, princípios e metodologias. Claro, existe a necessidade de mercado em se apresentar excelentes projetos de design e isso demanda de certos conhecimentos em softwares gráficos. Além disso, o cliente final não se importa com qual metodologia de design está sendo usada dentro do projeto, ele precisa apenas que esteja adequado a sua necessidade de mercado, que esteja ‘bonitinho’ e agradável, mas, na maioria da vezes, não tá nem aí pra o resto. O ponto é: somos verdadeiros designers ou simplesmente operamos software?

Essa geração digital (inclusive a minha) usa a internet para buscar conhecimento. Blogs, vídeos, fóruns são uma “mão na roda” pra quem tá procurando por novidades, conhecimentos e dicas sobre a profissão. O problema é que, em alguns casos, apenas isso basta para muitos de nós; não existe aquela busca de conhecimento teórico que vem, muitas vezes, através de livros e outras fontes mais ‘analógicas’. Você que é designer, sabe quem foi Andy Warhol? Já deu uma olhada no design japonês do século XX? Já ouviu falar do Art’s and Craft’s? Conhece ou já leu sobre a Bauhaus? Esse é justamente o que quero dizer! Muitos de nós nos contentam em saber manipular bem uma ferramenta e, muitas vezes, nos esquecemos de tudo aquilo que o design é. Ele é mais do que uma peça gráfica que vai ser vista por muita gente num outdoor. Design é resolver os problemas das pessoas; é dar funcionalidade, coesão, um objetivo para uma determinada coisa, sacou?

Você pode indagar que esse tipo de conhecimento citado acima só existe em ensino superior. Besteira! Existem diversos designers que nunca pisaram em uma Universidade e tem muito conhecimento. Não se trata simplesmente de estar em um curso superior, e sim, de buscar conhecimento que vai através da tela do ambiente de trabalho do software. Entende o que quero dizer? Sei que o tema é polêmico, e meio assustador, mas é algo que venho me deparando nesses últimos tempos. Você concorda?

Existem hoje milhares de fontes como blogs e ferramentas online e outras externas que podem ser usadas para melhorar o profissional que você é. Você só precisa buscar e parar de ser apenas um ‘operador de software’.

Enfim, é isso. Espero que vocês tenham entendido e que possamos melhorar a cada dia mais o design que existe no Brasil e no mundo.

Qual a sua opinião sobre o artigo? Será que estou certo ou pisei na bola? Fala aí nos comentários! ;)

Abraços e uma xícara de café!

Clique aqui para comentar ( )