Design

Tecnologia (digital) e o design dos nossos dias

A nossa história nunca antes tinha passado por um momento em que a tecnologia tivesse dominado as diferentes áreas do design como tem sido actualmente. A tecnologia é uma das principais formas encontradas em design para propor soluções viáveis, com a vantagem de poupar dinheiro e tempo.

Hoje, seria para muitos designers um acto difícil resolver um problema sem recorrer ao computador, o design gráfico, nas suas diversas especialidades é “refém” do computador, a concepção das revistas actuais não pode ser pensada fora um software que ajude a idealizar e a finalizar digitalmente, os livros podem ser pensados, organizados e impressos com maior rapidez.

“A nova tecnologia de impressão atraiu artistas plásticos para fora das galerias, e os artesãos passaram das oficinas para fábricas. Estabeleceu-se um vínculo com o comércio, que rapidamente utilizou a tecnologia de impressão para produzir em messa reproduções de alta qualidade, bem como manipular fontes, cores estilos de lay-out e, por fim, a fotografia para vender seus produtos.” (BOMENY, 2009:26)

Os avanços tecnológicos deram origem a muitas modificações da década 80. O computador veio para ficar, os designers gráficos, a partir desta época passaram a utilizar softwares para realizar diversos trabalhos que antes eram feitos à mão. A tecnologia formas de lidar com a composição tipográfica e a reprodução de imagens, de forma mais fácil e rápida.

“É verdade que a difusão de informações e os novos instrumentos tecnológicos foram a origem de grandes mudanças na linguagem do design actual, além de facilitar e ampliar formidavelmente suas áreas de actuação, tornando-se incorporado à rotina do designer de modo que é improvável pensar nossas actividades sem acesso a essas inovações.” (FAGGIANI, 2006:63)

O surgimento da internet foi, também um dos grandes marcos no desenvolvimento do design aliada a tecnologia, já que em 1965 “(…) Ted Nelson apresenta a uma biblioteca universal a utilização de “hipertexto”, isto é, da escrita não sequencial com ramificações, de preferência acessada por meio de um ecrã interativo. Surge aqui o que daria origem á internet.” (FAGGIANI, 2006)

Um dos grandes marcos foi o lançamento do primeiro Macintosh em 1984, o primeiro computador com interface gráfica criada pensando no usuário. Desde os anos setenta que a tecnologia digital já vinha sendo introduzida na vida normal do cidadão comum, até que, como já referido, a Apple lança os seus computadores.

 “Proliferaram os computadores pessoais e o sistema DTP (“Desktop Publishing”), reproduzindo na tela uma simulação de informa,cão gráfica ao usuário – o WYSIWYG (“What you se eis what you get”, o que você vê é o que se tem) -, e, posteriormente, a linguagem Postscript da Adibe Systems, com o lançamento da primeira impressor a laser Apple Laserwrite, e o softeware pagepaker, para diagramação. Somente a partir de 1987 a tecnologia electrónica começou a popularizar-se. O surgimento da Apple Macintosh acelerou a integração da informática no mundo da comunicação, da edição e do audiovisual, permitindo a generalização do hipertexto e da multimídia interativa. (BOMENY, 2009:24)

Em 1990 é lançado o primeiro sistema operacional para computador e neste mesmo ano é lançada a primeira versão de Photoshop e desenvolvida a “www” – “word widw web” por Tim Berners-Lee e Robert Cailliau.

“Hoje, o design é uma competência essencial que compreende mudanças necessárias para a sobrevivência das companhias. O design deve ser visto como parte integrante do desenvolvimento de um produto, tornando-o cada vez mais competitivo, constituindo em última análise, a imagem da empresa e do mesmo no mercado. O que faz, nos dias de hoje, com que seu produto seja selecionado em detrimento de outros, num mescado de tantas ofertas  é o design.” (FAGGIANI, 2006:62)

O desenvolvimento da tecnologia trouxe também ao design gráfico a especialização das áreas, permitindo que um especialista se empenhe apenas numa área quando necessário, abrindo espaço para o trabalho em equipa, mesmo com a relação entre estes profissionais e as máquinas. “O surgimento da fotografia possibilita novas maneiras de perceber o espaço e o movimento. As novas tecnologias de impressão ampliam a circulação de informações, por meio de altas tiragens de jornais e revistas.” (BOMENY, 2009:26)

Os tipos metálicos demoraram anos para se estabelecer, a fotocomposição demorou vinte anos para conseguir o domínio sobre seus procedimentos, a tecnologia digital teve uma aceitação imediata e uma ascensão vertiginosa, que hoje ninguém se imagina sem ela. As repetições, cópias rápidas, fusões, inversões foram e continuam sendo um grande marca no que refere a tecnologia digital em design gráfico. O termo design gráfico entrou também em questionamento com a introdução do digital, já que hoje, não precisamos de imprimir tudo que desenhamos, os livros, as revistas, os cartazes, os folhetos. A tecnologia digital invadiu os nossos dias com tanta força que é impossível pensar hoje num design distante dela, é, na verdade o principal aliado de designers gráficos (e não só). A tecnologia, permanecerá nos nossos dias, hoje e sempre acompanhando e melhorando os processos comunicacionais baseados no design, melhorando e transformando a vida dos profissionais.

 

Clique aqui para comentar ( )