Fotolia

As imagens e seu maravilhoso poder de convencimento

Olá, pessoas!
Vocês já perceberam como são usadas imagens em campanhas publicitárias e peças de design? Praticamente tudo do que vejo nesse universo está atrelado a alguma foto. Esse é um ‘truque’ usado há muito tempo e que vem se repetindo continuamente durante os anos. Mas já que é tão comum, pode ser usada aleatoriamente?

Geralmente, as imagens são usadas para fortalecer o poder de convencimento e/ou pra aproximar o público das situações cotidianas mostradas através das peças publicitárias (em uma boa parte). Mas escolher o tipo de imagem a se usar é algo que exige cuidado, pois pode afastar o público real daquele serviço ou produto.

Por exemplo: quem nunca viu uma concessionária  de carros com placas repletas de BMW’s, Volvo’s e Ferrari’s? É comum ver esse tipo de peça com produtos que nunca estarão naquele negócio (na maioria, pelo menos). E isso é um exemplo clássico, mas existem muitas outras empresas que fazem esse tipo de coisa. Acredito que a intenção do designer ou cliente (porque nem sempre é culpa do cliente, nem todos escutam o que os designers sugerem) é passar um ar de modernidade e/ou dinamismo, mas geralmente passa bem longe do desejo esperado. Meus amigos, PÚBLICO É TUDO! Quando seu público é bem definido, sua comunicação é definida. Pode ter certeza! Dificilmente alguém que vai em uma concessionária (dessas mais comuns com carros seminovos) encontrará ou comprará uma BMW recente do mercado.

Quando não há identificação pelo produto, não existe venda. Não é somente pegar uma imagem qualquer e colocar ali na peça pra compor o espaço. A venda acontece por meio do desejo, e se a pessoa que ver a peça não desejar aquilo, não vai adquiri-lo. Vamos aos exemplos:

CASO DE ESTUDO #01

http://acontecendoaqui.com.br/propaganda/voglia-neo-branding-desenvolve-campanha-para-vestibular-da-univali

Campanhas de vestibular usam geralmente jovens felizes, esperançosos ou vibrantes. O público das faculdades privadas (não generalizando) é composto por jovens que saíram recentemente do ensino médio, ou que pretendem fazer um curso superior, ou descobrir alguma paixão por uma carreira. A ideia a se passar é que o curso vai permitir novas possibilidades pra a vida; que você tem um futuro brilhante esperando por você e assim vai… Dificilmente vão usar imagens com pessoas mais velhas. Não faria sentido usar uma criança pra vestir a campanha, esse não é o foco da empresa. Claro, pode existir campanhas assim, mas é bem incomum.

CASO DE ESTUDO #02

http://www.antarescom.com.br/antares-cria-campanha-para-casa-forte-premium/

Condomínios também são outros exemplos que podem ser estudados. Geralmente, são usadas imagens de famílias felizes e unidas. A ideia é passar conforto, tranquilidade e felicidade. Claro, uma amostra do que esperam os possíveis clientes precisa ser apresentada também. Nesse tipo de exemplo, muitas imagens podem ser usadas para convencer: crianças brincando (que reforça a ideia de tranquilidade e segurança), jovens casais (pra passar a ideia de construir a família juntos) e assim vai…

#CONCLUSÃO

Por isso, pense com cuidado quando for escolher uma imagem pra compor sua peça. Imagine se ela irá representar seu público, se irá atrair a atenção e principalmente se você está com o foco certo. O poder de convencimento aumenta muito mais quando você sabe utilizar as imagens de forma correta. Estude, pesquise e busque por referências. Já é comum esse tipo de situação em agencias e estúdios, mas quando trabalhamos sozinhos, precisamos ter ainda mais atenção pra poder fazer as escolhas certas.

E aí, gostou? Fala aí nos comentários!

Abraços e muitos Jobs!

 

__

Ah, e quando precisar de boas imagens pra seus projetos, acessa a Fotolia da Adobe. Lá tá cheio de boas imagens com royalties livres. ;)

*Imagem de capa: Fotolia da Adobe.

Clique aqui para comentar ( )