Cinema e Séries

A criatividade de Chaplin

www.shutterstock.com

Talvez a figura do Carlitos com o seu bigode e chapéu coco seja uma das mais conhecidas do mundo todo, mesmo por quem nunca chegou a assistir os filmes de Charlie Chaplin, acaba reconhecendo o seu principal personagem.

Mas o que muita gente não conhece são as outras faces do comediante, sendo ele um dos grandes pioneiros do formato atual de cinema que conhecemos hoje em dia.

Um grande exemplo disso é o início da utilização de roteiros nos filmes, onde o Chaplin possui um grande grau de importância nesse processo que é utilizado até hoje.

Antigamente os primeiros filmes eram feitos com total improviso pelos atores e quando o Chaplin começou sua carreira no cinema nos estúdios Keystone, comandados pelo rei da comédia Mack Sennett, ele sentiu falta dos roteiros que já eram utilizados no teatro de variedades, sua principal base como ator.

Charlie Chaplin em sua estréia na Keystone em Carlitos Repórter de 1914 (Foto: www.shutterstock.com.br)

Não demorou muito para que ele implementasse os roteiros em seus filmes, colaborando até mesmo para que não tivesse mais desperdício em filmes, já que com o improviso as chances das cenas saírem ruins seria maior.

Outras duas passagens importantes da carreira de Chaplin aconteceram quando surge a utilização de som nos filmes em 1927, que até então eram completamente mudos e exibidos com o apoio de orquestras nas salas de cinema.

Com essa novidade da época, Chaplin teve que começar a compor músicas para inserir em suas obras, já que não iria contar mais com as orquestras, por esse motivo ele ficava horas e horas em estúdio para desenvolver as músicas que iriam acompanhar seus filmes.

Mas talvez o fato que mais impactou Chaplin foi os atores falarem em cena, pois ele era totalmente contra, já que ele acreditava que a partir do momento que o Carlitos falasse, ele perderia de certa maneira a comunicação com todo o seu público no mundo que não falava inglês.

Claro que depois o Chaplin acaba falando em seus filmes, porém o personagem Carlitos de fato nunca falou em suas obras, o único ato parecido com isso foi ele cantando uma música em Tempos Modernos de 1936, onde ele utiliza um idioma que não existe, sendo que muitos dizem ser uma forma de protesto sobre o fim dos filmes mudos.

Carlitos cantando em Tempos Modernos (Vídeo: The Talk Watcher)

Por fim, vamos destacar a marca Charlie Chaplin, já que ele foi uma das primeiras estrelas de Hollywood e levou seu nome aos quatro cantos do mundo através dos filmes, animações, histórias em quadrinhos e brinquedos.

Charlie Chaplin segurando um dos seus brinquedos licenciados (Foto: www.alamy.com)

Com certeza ele seja um dos precursores em trazer ações de branding para o seu nome e se colocar definitivamente como uma marca.


Clique aqui para comentar ( )