Cinema e Séries

Annabelle 2 – A Criação do Mal | Brincando com o inimigo

Depois de sofrer altos e baixos ao longo da história do cinema, os filmes de terror estão passando por um processo de renovação. Muito da nova cara do gênero se deve ao trabalho do cineasta James Wan. Responsável pelas séries Jogos Mortais e Invocação do Mal, ele também produz a franquia Annabelle. Com direção de David F. Sandberg, Annabelle 2 – A Criação do Mal (Annabelle 2 – Creation, 2017) já estreou e promete levar os fãs do universo criado por Wan às salas de cinema de todo o Brasil.

Annabelle 2 é o novo capítulo do universo de Invocação do Mal e acabou de estrear no Brasil.

É importante lembrar que, mesmo com o número 2 no título, a produção não é uma continuação, e sim um prenúncio: ele conta a origem da boneca amaldiçoada e como ela acabou possuída. Ambientado na zona rural da Califórnia, o filme mostra o casal Samuel Mullins (Anthony LaPaglia) e Esther (Miranda Otto) perderem tragicamente sua filha pequena. Ele, um exímio artesão, interrompe o seu trabalho como fabricante de bonecas para cuidar da esposa, acamada desde o acidente. Depois de uma passagem de tempo de 12 anos, o casal resolve abrigar em sua casa uma jovem freira acompanhada de garotas órfãs.

Anthony LaPaglia vive Samuel Mullins, exímio artesão e criador da boneca Annabelle.

Enquanto sonham com uma futura adoção, as crianças exploram a casa e seus arredores. Depois de entrarem no quarto da finada filha do casal, mesmo depois de serem proibidas, acabam alimentando o mal existente na boneca. Momentos de tensão se sucedem durante todo o filme, garantindo os sustos. Além disso, diversos easter eggs estão espalhados pelo filme, agradando em cheio os fãs do universo de Invocação do Mal.

Meninas Super Corajosas: as órfãs enfrentam um perigo sobrenatural em seu novo lar.

A direção de arte e os figurinos são um show à parte e, junto com as belas atuações das garotas e os excelentes efeitos sonoros, criam um clima de suspense realmente angustiante. Além das referências aos filmes do próprio universo, Annabelle 2 também homenageia alguns dos grandes clássicos do gênero. É impossível não lembrar de Poltergeist – O Fenômeno (Poltergeist, Tobe Hooper, 1982) ou Brinquedo Assassino (Child´s Play, Tom Holland, 1988). Só que aqui há uma grande diferença em relação aos slash movies dos anos 80: onde antes havia donzelas em perigo que cometiam inúmeras burradas, nesse filme encontramos garotas incrivelmente corajosas. Algo que causa um certo estranhamento. E o filme segue assim, em meio a sustos e aparições da boneca, caminhando para o seu final. Ou, no caso, começo, já que ele se liga ao primeiro filme da série nos seus últimos minutos.

Feito para os fãs de filmes de terror, Annabelle 2 é um ótimo exemplar dessa renovação que o gênero está passando.

2017 tem sido um ano relativamente bom para os aficionados por filmes de terror. Mesmo que a volta de Riddley Scott à sua franquia com Alien – Covenant não tenha sido tão boa, tivemos o intrigante Corra (Get Out, Jordan Peele) e o eficiente Vida (Life, Daniel Espinosa). Se tivermos de colocar Annabelle em uma das colunas, definitivamente, ele fica ao lado de Corra e Vida. Antes de conferir a próxima sessão, acompanhe o trailer abaixo:

 

Clique aqui para comentar ( )