Publieditorial

Café, criatividade e produtividade


Antes de falar do nosso néctar, é importante falar sobre o que é a criatividade.

De forma clara e sem firulas, a criatividade é a capacidade de conectar idéias pré-existentes e transformar em uma solução, uma nova ideia! 

Agora, vamos “firular” com base: as conexões que falei acima, são controladas por neurotransmissores como a adenosina. Ela funciona como sinal de alerta de energia que, quando baixa, reage retardando conexões feitas entre os nerônios, diminuindo o funcionamento do cérebro.

Você acaba de descobrir o porquê de, após algumas horas de trabalho mais intenso, se sentir cansado, lento, sem motivação. O corpo pede então, “uma pausa”; a menos que você tenha uma arma secreta à mão.

Ah! Café… meu cérebro te ama!

Particularmente, o café é parte principal do meu workflow. Depois de um bom café “eu me espresso melhor”.

Latte, Macchiato, Curto, Lungo, seja como for, não inicio, continuo ou finalizo um job sem um bom café. Contudo, as sensações após tomar uma xícara de café são diferentes para cada pessoa.

A questão é que a cafeina inibi os receptores da adenosina, enganando seu cérebro, trazendo a sensação de mais energia, disposição. Isso mesmo! Não é uma recarga na bateria, é apenas uma sensação! 

Sensação essa que começa 5 minutos após beber seu café. Pouco a pouco, os receptores são bloqueados e outras substâncias (glicose, dopamina,…) entram em ação à todo vapor, aumentando a atividade neural.

São 15min a 2h de impulso oferecido pela cafeina. que entra na corrente sanguínea causando uma sensação de mais foco através de um aumento na produção de dois hormonios, Cortisol e Adrenalina. É exatamente aqui que começo a ligar o seu sinal de alerta.

 …hora de o tio ser chato!

Acontece que, sabendo de tudo isso que descrevi, é necessária moderação no consumo do café. Isso porque, o superestímulo de adrenalina e cortisol, ocorrido com muita frequência, geram vício! Explico:

Os hormônios gerados causam sensação de energização, onde em cada repetição, as glândulas supra-renais exigem mais hormônios para gerar a mesma sensação de “fôlego extra”, causando dependência, dificultando até mesmo o aproveitamento do estado de repouso.

Na Universidade Johns Hopkins, pesquisadores analisaram pessoas que de baixo a moderado consumo de café (inciando com uma xícara de 70ml). O que eles descobriram foi que até mesmo essa pequena quantidade de café pode fazer com que seu corpo desenvolva uma tolerância à cafeína e exija mais para obter a mesma estimulação.

Então, como consumir esse líquido maravilhoso de forma a aumentar a produtividade e a criatividade?

Se é para “por a mão na massa”, café é um ótimo parceiro!

Existe um consenso nos estudos de cafeina: o consumo de café pode aumentar a qualidade e o melhor desempenho de tarefas.

Isso é interessante, porque não é uma questão de ajudar você no pensamento abstrato, na ideação. Os efeitos do consumo de café estão ligados a concentração e a execução. Sendo assim, para simplificar, tem uma ideia inicial? Uma boa xícara de café pode ajudar você a detalhar os passos seguintes e executar de forma mais efetiva.

#DICADOTIO: Vai tomar uma xícara de café para produzir melhor? Evite fazê-lo a noite ou próximo do horário de descanso/sono. A cafeina leva média de 5 a 10 horas para ser removida do seu sistema. O consumo excessivo, além de gerar dependência, afeta significativamente o ciclo de sono, resultando em uma queda na recuperação das energias, diminuição da capacidade lógica e criativa.

Durante os jobs? Uma a duas xícaras é o essencial para garantir energia extra para desenvolver melhor seus projetos. Agora, se quer realmente melhorar sua capacidade criativa e produtiva, precisa começar pelo essencial:

  • Mantenha uma alimentação saudável: seria maravilhoso se nossa dieta fosse perfeita igual aquelas imagens de propaganda, mas não é. Na sua rotina, tente incluir alimentos mais saudáveis;
  • Sono de qualidade: aqui é um dos grandes problemas. Sono reduzido e de má qualidade pode detonar você. Busque dormir de 5 a 8 horas diárias com ambiente silencioso e escuro. Se preferir, como eu, adote sons/playlists com sons da natureza (amo chuva), essa prática colabora para o relaxamento do cérebro;
  • Pausas regulares: eu já comentei sobre a técnica Pomodoro, mas o interessante adotar pequenas pausas durante a rotina para levantar da cadeira, movimentar e alongar o corpo, beber água e afins. Essa prática oferece pequenos espaços de relaxamento e recuperação do corpo diminuindo a necessidade de consumo de estimulantes como o café.

Se você, assim como eu, ama café. Saboreie sozinho ou em boas companhias, mas sempre com moderação.

Clique aqui para comentar ( )