Design

Capas de livros: conceito e expressão

Os livros carregam uma grande história, mas talvez as capas sejam a forma mais eficaz de partilhar essas histórias, antes que o leitor tenha acesso ao livro, folheio-o e leia na íntegra o que é proposto no livro. Existem variados tipos de capas de livro, um livro que divulga uma pesquisa sobre resultados de preferências das cores é totalmente diferente de um livro de poesia. A natureza do conteúdo, as circunstâncias e outras condições, colocam o designer a pensar na melhor forma de caracterizar um livro, através da sua capa, nestas condições é importante “julgar o livro pela capa”. Claro que, existem capas que superam conteúdos ou capas que não alcançam o nível qualitativo do conteúdo, no entanto, o papel do designer é procurar da melhor forma espelhar o que é o livro. Um livro de design, carrega consigo um conceito diferente de um livro de direito e isso deve estar claro, não pode haver dúvidas perante o apreciador ou comprador do livro.

A forma como um livro nos é apresentada, reflecte a nossa cultura, as nossas influências, a nossa história, o nosso estilo de vida. A capa do livro funciona também como espelho da nossa cultura. Por isso, o trabalho de concepção da de um livro, passa por pensar também nos consumidores, no público-alvo, um livro para sobre dicas de como gerir o teu dinheiro, direccionado a homens ricos, deve apresentar um conceito visual totalmente diferente de um livro que mostra como ser rico direccionado a jovens.

“Para um designer, é importante passar algum tempo em uma livraria observando não somente os livros e seus vários designs, mas também a maneira pela qual as pessoas folheiam e examinam os livros, e o quê, por fim, as leva a comprá-los. Os múltiplos estilos de capa refleterm o amplo espectro do público leitor. Em uma livraria, a seção de administração e negócios irá exibir capas muito diferentes daquelas apresentadas nas seções de literatura ou poesia. Ao se observar o público a tendência é que se note diferenças significativas de idade, padrão de vestimenta e sexo, dados que o designer, sem cair em estereótipos, deve ter em mente.” (HASLAM:2010)

Natureza das capas

Capas conceituais

As capas conceituais procura representar o conteúdo que o livro todo carrega através de uma alegoria visual, um paradoxo, criando uma fusão entre a imagem e o título. “O leitor, ao examinar as lombadas dos livros, pode retirar um da prateleira e, ao visualizar sua capa, sentir uma onda de prazer, um momento de euforia – em outras palavras, um impulso de comprar, ou como se diz em inglês, “smile of the mind”, expressão usada como título de um livro sobre design conceitual. Com isso, o leitor transforma-se em um autêntico comprador, a aquisição é impulsionada pela capa sendo o seu raciocínio elaborado da seguinte forma: “este livro tem uma capa inteligente e eu reconheci a argúcia dela, porque sou perspicaz”. Da mesma maneira que todos nós tecemos artimanhas de apoio aos nossos próprios pré-julgamentos, a tendência é que o leitor venha a comprar repetidamente outros livros, com base na mesma premissa.”(HASLAM:2010)

 

Capas expressionistas

“A abordagem expressionista para o design de capa é usada em romances e contos. O objetivo não é fazer um sumário visual, mas evocar o conteúdo, dar dicas sobre o que se esconde por trás da capa, intrigando o leitor. As capas dessa espécie geralmente utilizam desenhos, ilustrações, fotografias ou imagens de peças de arte adequadas ao conteúdo da obra. O diretor de arte ou o ilustrador tentarn criar uma imagem interessante que, combinada ao título, possa instigar o leitor, além de remetê-lo a algum elemento da história ou sugerir o clima emocional do texto. O leitor se sentirá atraído pela combinação da imagem com o título.” (HASLAM:2010)

 

Capas usando padrão

As capas com padrão podem transmitir diferentes conceitos, desde o leve ao pesado. São aparentemente simples, o que significa um trabalho por parte do designer, de modo a obter uma combinação perfeita entre o padrão e a tipografia, de modo a transmitir um resultado que vai de encontro ao livro como um todo.

 

Capas tipográficas

Um jogo entre o texto, as capas tipográficas que não incorporam imagens são muito utilizadas para uma grande variedade de temas. O título e o nome do autor são jogos experimentais que podem ser combinados com cores vibrantes, de forma a produzirem capas de grande impacto.

 

Porquê os designers deviam ler os livros

A capa do livro é expressão, ou pelo menos as pessoas dimensionam o livro através da sua capa. Quando o designer lê o livro, compreende o que deve levar ao leitor através da capa, dois livros de poesia podem ser diferentes de diferentes formas, uma história de amor é diferente de uma história de guerra, de morte. O designer devia entrar na história e sair dela com certeza do que seria feito da sua capa.

 

Capa como conceito e expressão

Uma capa nunca devia ser usada para um outro livro, porque não teve mais fundos ou por outra razão, nenhuma justificaria. A capa tem o conceito próprio daquele livro que é diferente do outro.

A baixo podemos acompanhar diferentes capas de livros, cada uma totalmente diferente da outra.

Clique aqui para comentar ( )