Cinema e Séries

Cinema e Fotografia – a conexão entre cores e ações

Para muitas pessoas as cores definem gostos, sentimentos e estilos de vida. Por exemplo, a cor preta para alguns representa o luto, tristeza ou um dress code. Cada um pode sentir e entender as cores de maneiras diversas. No cinema, muitos diretores utilizam o recurso da fotografia e a troca de tonalidades na tela, para transmitir uma mensagem.

Separamos uma pequena lista de filmes que representaram suas mudanças no enredo através do recurso da fotografia.

Harry Potter (2001 -2011)


Harry Potter é uma série de filmes britânico-americana, baseada na série de livros homônima da escritora J.K. Rowling. A série é distribuída pela Warner Bros. e consiste em oito filmes, iniciando com Harry Potter e a Pedra Filosofal (2001) e finalizando com Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 (2011).

Como trata-se de um filme de fantasia e magia, muitos recursos fotográficos são usados para dar continuidade nas ações do filme. Os longas da saga possuem uma tonalidade mais fria e escura, mas em alguns momentos os tons e o sentimentalismo ficam mais perceptivos.

1 – As cenas comuns tem uma coloração mais clara.

2 – Nos momentos sombrios em que o vilão aparece, as cores escuras predominam.

(500) Dias com Ela (2009)

Um romântico escritor se surpreende quando sua namorada Summer (Zooey Deschanel) termina o namoro repentinamente. Com isso, ele relembra vários momentos dos 500 dias que passaram juntos para tentar descobrir onde seu caso de amor se perdeu e vai redescobrindo suas verdadeiras paixões.


Mark Webb dirige essa comédia dramática de uma maneira bem marcante. Durante o passar do tempo, as telas que apresentam a contagem dos dias do relacionamento de Summer e Tom (Joseph Gordon-Levitt) evidenciam a situação do casal.

1 – Nos dias em que tudo está bem, as cores são mais claras.

2 – Quando os dias estão ruins, as cores ficam mais escuras.

Animais Noturnos (2016)

O filme apresenta Susan (Amy Adams), que é uma galerista de sucesso, que se sente cada vez mais afastada de seu segundo marido. Quando ela recebe e começa a ler a prova do novo romance, dedicado a ela, de seu primeiro marido, o inseguro Edward Sheffield (Jack Gyllenhaal), Susan reflete sobre a motivação de Edward e descobre verdades dolorosas sobre o próprio passado e sobre as causas de sua tristeza e de seus fracassos amorosos.

Animais Noturnos foi dirigido pelo estilista e diretor Tom Ford. O fato de Ford estar diretamente ligado ao mundo da moda reflete bem na fotografia e figurinos do filme.
No longa duas timelines são apresentadas e separadas por tons característicos:

1 – A realidade que nos mostra a vida de Susan, ao passo que ela vai avançando na leitura do romance. Os tons dessa narrativa são frios e densos, mostrando a triste e melancólica vida de Susan.

2 – A realidade fantasiosa, que nos mostra o desenrolar da história presente no manuscrito lido por Susan. Aqui os tons são quentes e vivos, mostrando a ação e aventura da narrativa do livro.

Bônus: Além da fotografia do filme, as cores também se refletem nos figurinos e maquiagem dos personagens.

1 – Maquiagem: Quando a história se passa no presente, Susan utiliza maquiagens fortes e escuras representando a tristeza vivida pela personagem. Enquanto no passado, quase não há.

2 – Figurino: Da mesma forma que na maquiagem a tristeza é retratada, no figurino isso fica aparente. O presente continua denso e pesado. Já no passado, apenas em um momento onde Susan vê uma esperança de melhora em sua vida, ela muda para uma tonalidade de cor mais suave.

Adoráveis Mulheres (2019)

O enredo do longa retrata a vida das irmãs March, que enfrentam problemas crescentes como falta de dinheiro, tragédias familiares e rivalidades românticas na Massachusetts de meados do século 19. Jo (Saoirse Ronan) luta por independência e, às vezes, entra em conflitos com a mãe e as irmãs Meg (Emma Watson), Amy (Florence Pugh) e Beth (Eliza Scanlen).

Adoráveis Mulheres é dirigido por Greta Gerwig, uma grande fã do livro “Mulherzinhas”, escrito por Louisa Alcott e que inspirou o roteiro da obra. No filme há muitas idas e vindas temporais, que elegantemente foram representadas pela fotografia e tonalidade de cores.

1 – Passado: é representado por cores vivas e quentes.

2 – Presente: é representado por tonalidades frias e densas.

Bônus: Cada uma das irmãs March tem uma palheta de cores central: Beth é marrom e rosa, Jo é vermelho e anil, Meg é verde e lavanda e Amy é azul claro.

Além de um bom enredo, um bom elenco e trilha sonora, a fotografia também é um ponto importante para dar sentido ao filme. Ainda há uma variedade enorme de produções que não foram citados, e que utilizam a fotografia como um personagem, marca ou até característica do diretor. Mas vamos deixar para um próximo artigo, certo?

Clique aqui para comentar ( )