Cinema e Séries

Crítica | Capitã Marvel

Capitã Marvel chega aos cinemas batendo recordes de bilheteria e arrecadando 445 milhões de dólares no fim de semana de estreia

O filme sobre uma das heroínas mais poderosas do universo Marvel era aguardado ansiosamente pelos fãs, além de ser o filme que antecede o capítulo final do arco Vingadores, é o primeiro com uma protagonista mulher.
Brie Larson assumiu a responsabilidade de viver Carol Danvers, a Capitã Marvel, papel que ela domina do início ao fim com apoio de Samuel L. Jackson (Nick Fury). A dupla Fury e Danvers funciona muito bem, a sintonia é nítida desde o primeiro encontro e as piadas entre eles fluem naturalmente.

Carol Danvers (Brie Larson) e Nick Fury (Samuel L. Jackson)

Humor e sarcasmos são algo presentes no filme, sem forçar a barra, as sacadas aparecem no momento certo, o que não acontece com a trilha sonora. O filme peca em não aproveitar as músicas dos anos 90 para complementar as referências durante o longa. Para os nostálgicos, o filme faz uma viagem no tempo e apresenta muitos elementos que não fazem mais parte da rotina atualmente, como por exemplo, alugar filmes em locadoras.

Carol Danvers (Brie Larson).

Em Capitã Marvel somos introduzidos a história de Carol Danvers juntamente com ela e através de flashbacks vamos descobrindo aos poucos sua personalidade e vivências passadas. O ápice do filme é quando os poderes são realmente mostrados. Isso é revelado de acordo com o crescimento da personagem. Claramente vemos uma mulher forte e empoderada, parafraseando o companheiro de universo da Capitã, o Tio Ben de Homem-Aranha: “Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades” e Danvers mostra que aguenta a pressão.
Quem acompanha o mundo Marvel no cinema pode ver inúmeras conexões com histórias dos filmes passados e possíveis ligações com os futuros.
A adaptação ainda conta com duas cenas pós créditos, uma delas tem relação direta com Vingadores: Ultimato e a outra apenas esclarece dúvidas de filmes passados.
Capitã Marvel desenvolve humor, carisma, senso de justiça e Girl Power na medida certa, atendendo as expectativas de quem esperava um bom filme.

FICHA TÉCNICA
ANO:
2019
PAÍS: EUA
DURAÇÃO: 124 min
DIREÇÃO: Anna Boden, Ryan Fleck
ROTEIRO: Geneva Robertson-Dworet, Anna Boden, Ryan Fleck
ELENCO: Ben Mendelsohn, Brie Larson, Jude Law, Samuel L. Jackson, Lashana Lynch, Annette Bening
NOTA DO CRÍTICO: 4,5 / 5

Clique aqui para comentar ( )