CAPA
Design

Inclusão e diversidade são destaques na 11ª edição do Brasil Design Award

Com mais de 300 projetos, a maior premiação do design nacional foi transmitida ao vivo

A ABEDESIGN (Associação Brasileira de Empresas de Design) anunciou os vencedores da 11ª edição do Brasil Design Award, que tem como objetivo reconhecer projetos desenvolvidos por profissionais e estudantes de todo o país. 

A edição deste ano, que apresentou a temática “Qual bandeira você carrega?”, contou com apresentações do Giramundo, um dos maiores teatros de bonecos da América Latina, prestigiou 312 projetos, divididos em 330 prêmios (grand prix, ouro, prata, bronze e voto popular), dos 1.624 inscritos, em cada uma das 10 categorias e das 69 subcategorias. 

Para Gustavo Greco, diretor geral do BDA, a bandeira é um dos artefatos gráficos mais poderosos já criados por seres humanos. “Para representar um país, ou uma causa, tal insígnia simboliza o grupo para o indivíduo e de volta mostra a identificação desse indivíduo com o grupo”, explica Greco.

Brasil Design Award 2021 - Realizado pela ABEDESIGN

Entre os ganhadores do Grand Prix, a premiação máxima, estão: a Instituição Financeira Banco Itaú, na categoria Design de Impacto Positivo (subcategoria Inclusão e Diversidade), com a criação do cartão Inclusivo IT – para pessoas com deficiência visual, e o Canal Brasil, com projeto realizado pela agência Tátil, que recebeu o troféu em Design Gráfico (subcategoria Design de Marca Grandes Empresas) pela nova identidade da marca.

Outro destaque foi o cearense Leo Ferreiro na categoria Design de Produto (Mobiliário) com a Cadeira Caré, que possui referências do litoral do Ceará. O SKINDEEP (PR), produzido pela empresa de design Pedro, Pastel & Besouro, curta baseado em fatos, que contextualiza o racismo presente na história dos Estados Unidos, também foi contemplado com o Grand Prix e a medalha de ouro na categoria Craft For Design (Motion).

“A importância do design para a criação de um produto vai muito além da parte estética, é um aspecto de valor para a marca. No BDA temos a oportunidade de reconhecer a qualidade e os diferenciais do design nacional, que devem ser atributos de nosso patrimônio econômico, social e cultural”, diz Gabriel Lopes, presidente da ABEDESIGN.

Criada em 2020, a subcategoria de Estudantes, presente em Design de Impacto Positivo, recebeu destaque com projeto Retrato Sensorial: a utilização do Design na criação de um produto fotográfico destinado a pessoas cegas, realizado por estudantes de design da Univates, no Rio Grande do Sul. 

pop05.jpg
“Correntes” – agência Nitsche

Em Design de Ambiente (subcategoria Design de Varejo), o trabalho “Correntes”, realizado pela agência Nitsche, projeto de arquitetura voltado para a venda imobiliária, também conquistou o prêmio. Já na categoria Design Editorial (Autopublicações ou Edições Limitadas) o prêmio foi para a agência Colletivo Design pela produção do “Textos Putos Vol.2”, que traz a pornografia do ponto de vista feminino. O projeto recebeu além do ouro e do grand prix, a medalha de bronze na subcategoria Ilustração. 

O jornal Malungo Nº 2, desenvolvido pelo design mineiro, Matheus de Souza, impresso e distribuído gratuitamente em Belo Horizonte (MG), com o objetivo de trazer reflexões sobre o design gráfico no combate ao preconceito racial negro, ganhou a medalha de ouro na subcategoria Jornais (Design Editorial). Em Design Digital, o destaque foi para o Museu Itamar Assumpção (MU.ITA), primeiro museu virtual de artista negro, realizado pelos profissionais Frederico Teixeira, Juno B e Lucas Candido (SP). 

Campana, elaborado pela agência paulista Pharus Bright Design, recebeu medalha de ouro em Design Gráfico e prata em Motion (Craft for Design). Já na subcategoria Cartazes, quem os mineiros Filipe Lampejo e Rita Davis foram premiados pelo projeto “Quer ver escuta”. 

Na categoria Branding, a medalha ouro foi para Coffee Lab (PR), na subcategoria Posicionamento de Pequenas e Médias Empresas. O projeto, realizado pela Petrikor Design, também conquistou medalha de prata na subcategoria Voz. Em Serviço Digital, a série de conteúdo digital 3 Refs, que traz referências e inspirações com a descoberta de profissionais do design, fotografia, ilustração, artes plásticas e comunicação, recebeu a medalha de prata. 

Yuper: Viva novos períodos

A classificação Prata teve 99 projetos premiados. Entre os maiores destaques estão: Yuper: Viva novos períodos, por receber três medalhas de prata em Consumo de Massa (Naming, Posicionamento de Pequenas e Médias Empresas), além da medalha de bronze na subcategoria Design de Marca, trabalho realizado pela Studiobah (RS).  E o projeto “Coisa de menina”, elaborado pela agência Leste (PR) para a marca Sicredi, que conquistou medalha de prata nas subcategorias Motion e Inclusão e Diversidade. 

Em Bronze, foram premiados no total 198 projetos, de 15 estados, incluindo Ceará, Alagoas, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Goiás e Distrito Federal. A agência Tátil foi destaque nas subcategorias Fotografia, Design de Marca – grandes empresas e Publicações Digitais.

Já em Voto Popular, foram 11 projetos premiados, sendo um para cada uma das 10 categorias e um para os estudantes. O destaque foi para o projeto Acessibilidade Wise Hands, solução de gerenciamento e rede social interna para grandes empresas, do designer Gustavo Miranda, a plataforma mobile também recebeu medalha de prata na categoria Design Digital (Design de Experiência do Usuário (UX)). 

Desde o ano passado, a edição conta com bolsas para pessoas pretas e indígenas, uma forma de incentivar novas discussões e abrir espaços para outras visões do trabalho em âmbito nacional. Isso impactou positivamente no acervo de projetos de qualidade exercendo seu papel fundamental que é a influência no modo de vida sociedade e seus comportamentos. 

Como funciona a seleção dos projetos premiados? 

Na primeira etapa, 140 jurados julgaram as 1.624 inscrições individualmente. De todos os projetos, 30% receberam a média de notas acima de 7 – o shortlist –, e passaram para uma segunda fase: notas de 7.0 a 7.9 são classificadas na categoria bronze; de 8.0 a 8.9, prata; e de 9.0 a 10, na categoria ouro. Os projetos que receberam ouro passaram para uma última fase de julgamento. Durante uma tarde, os presidentes de cada categoria se reuniram para entender quais seriam os destaques que levariam para casa o icônico troféu Grand Prix. Todos os inscritos são ainda submetidos ao voto popular, que contou este ano com 95 mil votos.

Assista a cerimônia de premiação, que aconteceu no dia 07/12:

Clique aqui para comentar ( )

Somos um veículo que trata sobre Design, Comunicação, Cultura, Artes, Ações criativas e empreendedoras. Acesse diariamente. Você é a nossa inspiração.

Porto Digital
Empresa embarcada no Porto Digital
Email Marketing certified by E-Goi
Um projeto Uncod Pro
Usamos cookies para garantir que oferecemos a melhor experiência possível. Se continuar a usar nosso site, entenderemos que você está de acordo.