Cinema e Séries

JoJo Rabbit – uma história “engraçada” sobre o nazismo

A poucos dias do Oscar 2020, a Primepass facilita a ida ao cinema com uma lista de filmes em cartaz para você ficar por dentro das indicações e não perder a chance de ver Jojo Rabbit.

Jojo Betzler (Roman Griffin Davis), é um garoto alemão solitário que descobre que sua mãe (Scarlett Johansson), está escondendo uma garota judia (Thomasin Mckenzie) no sótão. Ajudado apenas por seu amigo imaginário, Adolf Hitler (Taika Waititi), Jojo deve enfrentar seu nacionalismo cego enquanto a Segunda Guerra Mundial prossegue.

Histórias sobre o nazismo e a Segunda Guerra Mundial já foram contadas inúmeras vezes e sempre são apresentadas por uma perspectiva triste e sentimentalista. Em Jojo Rabbit o enredo foge um pouco da tristeza, substituindo-a por um tom cômico e trazendo uma abordagem inusitada sobre um assunto tão delicado. Respeitando-o e tomando o devido cuidado com o tema.  

Jojo é completamente fanático por Hitler e não tem a mínima noção do que ele representa. A partir dessa admiração, ele o transforma em seu amigo e principal consultor imaginário. Em contrapartida, sua mãe Rosie tenta mostrar para o filho um olhar diferente do que acontece durante uma guerra. E isso é percebido quando o garoto começa a conhecer a órfã judia Elsa, que na teoria, deveria ser sua inimiga número um.

No desenrolar do filme acompanhamos a visão inocente de um garoto de 10 anos que presencia acontecimentos horríveis sem perder a imaginação e sem deixar que seus velhos pensamentos sejam permanentes. Uma prova disso é o seu amigo Hitller, que tem o comportamento semelhante à idade de Jojo e sempre coloca o garoto em conflito com as suas decisões.

O longa é uma surpresa entre os indicados ao Oscar concorrendo nas categorias de: Melhor Filme, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Figurino, Melhor Montagem, Melhor Design de Produção e Melhor Roteiro Adaptado.  

Jojo Rabitt é o tipo de filme que apresenta diversas emoções e reflexões sem você perceber que sentia e precisava delas.

Clique aqui para comentar ( )