Design

Para que servem as embalagens?

O papel pode nos parecer um elemento simples, usado para embrulhar um presente, um pão, uma peça de roupa e outros tipos de peças ou objecto. A maior parte das embalagens com que temos relação e com que convivemos diariamente envolvem papel, uma caixa de canetas, uma caixa que leva perfume, uma caixa contendo livros, uma caixa de bolachas. Os tipos de papel e as formas são diversificadas, dependendo da necessidade de cada produto, ambiente e finalidade.

“A embalagem é expressão e atributo do conteúdo. Não podemos desenhá-la sem conhecer profundamente o produto. Assim, as características, a composição do produto,  seus diferenciais de qualidade e principais atributos, incluindo seu processo de fabricação, precisam ser compreendidos” //www.designbrasil.org.br

Fonte: www.shipstation.com

A embalagem tridimensional em papel é resultado de quatro processos importantes para sua efectivação, desde o estudo do produto que será embalado, passando pela planificação da forma, o design bidimensional e por fim a sua materialização. A primeira fase permite compreender o produto, suas especificações, tamanho, sensibilidade e a partir daí definir a forma a usar, a definição da forma depende também do público que irá consumir o produto. Uma forma para crianças deve ser idealizada considerando as especificações e características físicas deste grupo. Que tamanho aplicar? A criança consiguirá segurar a embalagem? A embalagem cria uma intimidade natural com o consumidor? São questões que podem ser aplicadas a reflectir sobre o processo de concepção das embalagens.

 

Para que servem as embalagens?

A embalagem protege e acondiciona

A embalagem deve proteger e preservar as características físicas e químicas do produto em si contido, até chegar ao consumidor final. Uma embalagem deve levar em conta os seguintes riscos: biológicos, climáticos, físicos, de desfalque.

Fonte: www.worldpackagingdesign.com

 

A embalagem permite transportar o produto

A embalagem garante a integridade do produto de um ponto para o outro.

 

A embalagem informa e identifica

Saber da validade do produto, instruções de manuseio, valores nutricionais, como conservar, contra-indicações são informações contidas nas embalagens, e desse modo podemos ser informados sobre o produto antes do consumo ou uso. Ela funciona igualmente para identificar o produto, como elemento de diferenciação permite que nenhum produto seja confundido com o outro. Quando entramos no supermercado já sabemos o que queremos e o que temos, com base na embalagem.

Fonte: //eat.gd.sina.com.cn

 

A embalagem promove e vende

A embalagem é, actualmente indispensável na persuasão nos pontos de venda. Quando seguramos uma embalagem, ninguém está ali para nos convencer, o design da embalagem deve ser fortemente conseguido a ponto de nos convencer e de criar uma ligação entre nós (como consumidores) e o produto. Quantas vezes quando temos um produto infantil a criança salta aos gritos que quer um determinado produto sem nunca antes ter o consumido? A embalagem é o chamariz para a escolha do produto.

“Antes de desenhar é preciso pensar. A função da estratégia na metodologia é fazer com que as premissas básicas do projeto sejam equacionadas e indiquem uma direção a ser seguida no processo de design para responder aos projetos traçados. Esse é o ponto central da nossa metodologia, pois de nada adianta todo o esforço empreendido no projeto se o resultado final não for competitivo.
Posicionar visualmente o produto de forma que se obtenha vantagem competitiva no ponto-de-venda é o melhor que um projeto de design de embalagem pode alcançar, e a estratégia de design deve sempre buscar este objetivo.” //www.designbrasil.org.br

 

 

 

Clique aqui para comentar ( )