Design

Qual é o próximo passo depois do design?

A maioria dos designers tem como base os conceitos apresentados nos cursos de design gráfico e design de produto, mas será que tudo que precisamos saber para fazer um bom trabalho está presente neles?

Durante essa jornada de aprendizado, os alunos se deparam com disciplinas técnicas como gestalt, teoria das cores, tipografia, ferramentas digitais e muitas outras, sempre visando no que vamos apresentar esteticamente na hora que estivermos no mercado.

É claro que o que deveríamos fazer vai muito além de uma peça com uma boa estética, está bem mais relacionado a um problema e como vamos ajudar a resolver através do nosso trabalho.

Por muitos anos e pela forma de como nossa cultura foi moldando a profissão, acabamos deixando de lado o verdadeiro significado do design, mas graças às novas abordagens como UX, Design Sprint e Design Thinking, voltamos nossas atenções para o que realmente importa, as pessoas.

Foi pensando dessa maneira que comecei a procurar outras disciplinas para aumentar meu repertório como designer, onde então encontrei a neurociência e o estudo do comportamento humano.

Todas as nossas atividades são baseadas em padrões de aprendizagem que são relacionadas a emoções e memórias que são acessadas em nossos cérebros, sendo que compreender isso é muito importante para entender as jornadas das pessoas que queremos impactar e ir além, focar em melhorar a experiência delas com um determinado produto ou serviço.

Ainda estou bem no início dos meus estudos com a neurociência e de como ela pode ser uma grande parceira do design.

E todo esse processo eu pretendo compartilhar com os leitores do Design Culture nos próximos artigos.

Esse é um dos meios que encontrei para ir além do que aprendi na faculdade, mas tem vários outros, tudo depende do caminho que você quer se aventurar.

A real mensagem que eu quero deixar, é que devemos ser curiosos, temos que buscar outras maneiras de pensar além do design, seja estudar mais sobre tecnologia, negócios ou comportamento humano, o que o designer não pode é ficar parado!

Clique aqui para comentar ( )