Comportamento

Vítimas da informação

Quantas abas estão abertas em seu navegador?

Quantos artigos você já selecionou pra leitura hoje?

Quantos realmente te impactaram?

Estamos na era digital, sendo bombardeados de conteúdo o tempo todo. Informativo, jornalístico ou educativo. O fato é: nunca estivemos tão “por dentro” de tudo. Mas, ao mesmo tempo, nunca estivemos tão perdidos.

Você pode aprender bastante sobre uma área de interesse em uma breve pesquisa na internet. Ao meu ver, nada substitui o bom e velho livro, mas hoje em dia, temos tudo ao nosso alcance na internet: com poucos cliques podemos aprender tanto quanto com algumas horas de leitura fora do computador. A única parte difícil nisso tudo: não se dispersar, e se concentrar apenas no necessário.

Por experiência própria, e vendo experiências de alguns colegas e amigos, essa explosão de conteúdo online é assustadora. Decidi escrever sobre o assunto, pois nas últimas semanas, era comum me deparar com mais de 5 janelas diferentes abertas no meu navegador. Esperando por 5 minutinhos extras para ler um pouco sobre diferentes conteúdos. Ou então receber desses amigos diversos conteúdos considerados interessantes, por eles, quase todos os dias. Mas será que realmente conseguimos aprender ou absorver algo do que estamos consumindo?

Nos dias de hoje, note o quanto imediatistas nos tornamos. Queremos tudo pra ontem: Se o artigo que cliquei é extenso demais, “bora” escolher um menor, porque “não temos tanto tempo” assim que possa ser gasto num artigo. Precisamos ler o mais rápido possível pra continuar tocando um projeto ou trabalho, ou então apenas pra ir para a próxima leitura. A coisa boa nisso tudo é que é notável o crescimento do interesse pela leitura de uns tempos pra cá. Mas, infelizmente, por uma leitura que é, muitas das vezes, vazia.

Você pode chegar a ler 5 artigos de assuntos diferentes no mesmo dia. No outro dia, você já não lembra mais do que leu. Estamos cercados de MUITO, o tempo todo. Temos a falsa sensação de que estamos ficando mais completos, de que entendemos um pouco sobre tudo, quando, na verdade, estamos nos perdendo e não focados de verdade em algo que importe.

Você prefere ser um aglomerado de meias informações, ou ser especialista no que mais te atrai?

Busque somente o necessário. Aprofunde-se de verdade nos temas de seu real interesse. Ainda não somos robôs. É impossível absorver a quantidade enorme de conteúdo que nos é dado.

Há pouco tempo atrás, quanto mais eu tentava absorver, menos eu conseguia, e mais me sentia pressionado para aprender coisas novas. Isso foi pesando cada vez mais e eu me sentia “improdutivo” por não estar rendendo o quanto gostaria. Quando na verdade, eu estava apenas me sobrecarregando, e isso me deixava perdidíssimo diariamente. Afetava diretamente meu psicológico. Dei um tempo. Caí na real: preciso filtrar mais minhas pesquisas, e ir atrás somente do que eu realmente preciso me aprofundar.

Você, alguma vez, já se sentiu dessa forma? O que fez pra se ajudar?

De uns tempos pra cá, andei pesquisando sobre “ginástica mental” e decidi me dedicar à algumas técnicas/exercícios pra conseguir memorizar mais conteúdo relevante e não me sentir tão perdido: ler no papel (quando o conteúdo é online e vejo que vai me interessar, imprimo); Fazer anotações sobre o conteúdo (me ajuda a memorizar mais); Reservar no mínimo, 1h do meu dia para leitura (sem tentar ser multitarefa e intercalar momentos de trabalho e de leitura, como fazia antes, e acabava me dispersando); Deixar o celular longe de mim enquanto estiver lendo (xô, vício!).

E você, tem algum tipo de exercício ou estratégia pra manter o foco e se concentrar na leitura? Compartilhe comigo!

Se ainda se sente assim, espero que tenha lhe ajudado de alguma forma com esse compartilhamento ;)

Grande abraço,

Bruno Meira – @meiradg

Clique aqui para comentar ( )