Cinema e Séries

Crítica | Benzinho

O primogênito Fernando (Konstantinos Sarris) de uma família de classe média baixa é convidado para jogar handebol na Alemanha. Sua mãe Irene (Karine Teles) tem que encarar essa mudança, além de ajudar a problemática irmã Sônia (Adriana Esteves), lidar com as instabilidades do marido Klaus (Otávio Müller) e se desdobrar para dar atenção ao seus outros filhos Rodrigo (Luan Teles) e os gêmeos Fabiano (Arthur Teles Pizzi) e Matheus (Francisco Teles Pizzi).

Receber a notícia de que seu benzinho (como essa mãe chama os seus filhos) irá embora do país mexe com a vida de Irene, que tenta abafar essa transformação se ocupando com afazeres e ignorando que isso de fato vai acontecer.

Ela é o retrato da mulher que tenta manter a família em pé e unida mesmo com tudo desmoronando ao seu redor literalmente, já que sua casa no filme está caindo aos pedaços                                        

Em Benzinho podemos ver uma mãe que começa a se sentir abandonada, angustiada, preocupada e com receios. E são esses sentimentos que fazem com que ela não sinta empolgação ou felicidade pela conquista de seu filho. 

Karine Teles como Irene.

Karine Teles está brilhante no papel de Irene e domina o filme transmitindo a fusão de sentimentos dessa mãe que transitam entre alegria e tristeza. Além de contar com um excelente elenco de apoio como Otávio Müller que faz o papel do marido sonhador e que muito fala e atrapalhadamente faz e Adriana Esteves sua irmã no longa, que atua como sua parceira e suporte mesmo em meio aos seus próprios dramas.

O entrosamento do elenco como família funciona muito bem, tanto nas cenas alegres quanto nas brigas, retratando fielmente uma família fluminense com seus altos e baixos e com problemas muito frequentes do cotidiano.

Benzinho é silencioso, por não conter uma trilha sonora marcante e ao mesmo tempo barulhento, já que conta a rotina de oito pessoas vivendo sobre o mesmo teto.

É um drama com leves pitadas de humor familiar e retrata uma história que você provavelmente já presenciou, trazendo aquela sensação de que você conhece esses personagens de algum lugar.

Mesmo sem algumas respostas da história do filme, talvez pelo fato de aguçar o desejo de querer saber mais sobre o que acontecerá no futuro dessa família, Benzinho é um filme agradável, amoroso, simples e bem cuidadoso nos detalhes.

Dirigido por Gustavo Pizzi, Benzinho estreia dia 23 de Agosto em todo o Brasil.

 

Clique aqui para comentar ( )