Design

Design e Inovação na saúde: conheça a Fix it

Créditos: Divulgação Fix it

Quantas vezes pensamos em vários produtos que podem melhorar os tratamentos e processos utilizados atualmente na saúde? Algumas vezes até criamos conceitos em conjunto com profissionais da área para que possamos apresentar nossa “maravilhosa solução” para o mundo. Entretanto, a grande questão é: quantas vezes colocamos ela em prática e fazemos a coisa acontecer?

A Fix it – Healthcare Innovation, startup brasileira que surgiu com o propósito de atender a uma demanda específica através de imobilizadores fabricados por impressão 3D, reinventa – hoje – o modo como são tratadas as lesões e imobilizações.

Créditos: Portfólio Fix it

De acordo com Felipe Neves (CEO e Co-fundador) e Hebert Costa (COO e Fundador), a Fix it surgiu de um Startup Weekend – evento que reúne desenvolvedores, designers, profissionais de marketing, gerentes de produto e entusiastas empreendedores que em conjunto vão compartilhar uma ideia, formar equipe, criar produtos e lançar uma startup em 54 horas – como um negócio de fabricar órteses de punho através de impressão 3D.

Créditos: Portfólio Fix it

Hoje, a Fix it já produz mais que imobilizadores de punho e consegue inovar também em imobilizadores de dedos e seu laboratório de P&D – do qual tenho orgulho em dizer que juntamente com a Sabiá – Branding, Design, Innovation faço parte – está desenvolvendo vários outros imobilizadores para proporcionar uma nova experiência no tratamento de lesões e imobilizações.

No entanto, diferentemente de seus concorrentes, a Fix it conseguiu pensar “fora da caixa” e encontrar uma maneira de fazer com que suas órteses possuíssem todos os benefícios de serem impressas em 3D (melhor adequação as curvas do usuário) e ainda assim, fazer com que fosse possível ser produzida em escala para ampliar o acesso aos seus possíveis usuários.

Desta forma, a solução encontrada pela Fix it, foi a de produzir suas órteses de maneira planificada em tamanhos padrões (P, M e G), fazendo uso de um polímero biodegradável para que ao aquecê-las em água quente ela possa ficar maleável suficiente para que possa ser modelada diretamente no corpo do usuário. Isso permite que o processo respeite as curvas dos usuários e também com que o uso do scanner 3D não seja necessário, ou seja, a Fix it se apropriou dos conceitos de Personalização em Massa (Mass Customization) – mas isso é assunto pra outra hora -, algo que já vem sendo trabalhado nos Estados Unidos e Europa com uma frequência maior em diversos segmentos de mercado.

“Acreditamos que quando um trauma acontece, os procedimentos aplicados devem ser os mais práticos, eficientes e confortáveis possíveis. Com os modelos tradicionais de imobilizadores isso não acontece. Dessa forma, aliamos novas tecnologias com a expertise de vários profissionais para liderar um novo caminho no tratamento de lesões e imobilizações, com tecnologia, praticidade e conforto” – Felipe Neves, CEO da Fix it

Particularmente, vejo a trajetória da Fix it como uma inspiração e também como um exemplo de que quando acreditamos em nossas criações podemos de fato gerar um impacto positivo para o mundo em que vivemos. Afinal, quantas vezes não criamos conceitos durante nossas disciplinas na universidade, até mesmo em casa quando estamos inspirados e aquela ideia não sai da nossa cabeça e mesmo assim, após a criação, deixamos ela para lá e partimos para as outras que estão por vir?

A Fix it foi capaz de iniciar um negócio que hoje gera um impacto extremamente positivo em apenas 54 horas. Imaginem a contribuição que nós, designers e criativos, podemos realizar se nos esforçarmos como eles para fazer com que nossos projetos saiam do papel e se tornem realidade.

 

Clique aqui para comentar ( )