Inspirações

O que é o Design Thinking? Entenda tudo em 7 etapas!

O Design Thinking é uma abordagem que está promovendo soluções inovadoras para pessoas e empresas. Descubra do que se trata o Design Thinking e aprenda a aplicá-lo seguindo 7 etapas simples.

Imagine uma abordagem imersiva que consegue ajudar a resolver problemas complexos de pessoas e empresas. Agora imagine encontrar essas soluções de forma criativa, empática e inovadora – sempre colocando as pessoas no centro da questão e entregando valor real como resultado. Esse cenário pode até parecer um pouco utópico ou difícil de se encaixar na lógica dos negócios, mas acredite: ele existe – e é chamado de Design Thinking.

Para entender de onde surgiu esse conceito que consegue trazer soluções inovadoras para empresas, pessoas e para a sociedade, continue lendo. Aprenda com a gente o que há por trás do Design Thinking, as vantagens da abordagem e como ela é explicada em 7 passos.

O que é o Design Thinking

O design Thinking é um modelo mental que busca a resolução de problemas complexos, através de uma abordagem centrada no componente humano das situações e que se apóia nos conceitos da área do Design. O Design é uma área de estudo que, embora facilmente associada à beleza e estética, vai muito além disso. Design, na verdade, é um verbo, que remete a processos relacionados à ação e ao planejamento de soluções.

Do Design enquanto busca por soluções surge o termo Design Thinking, que é a forma de aplicar a visão da área sobre situações diversas das pessoas e das organizações. Com o olhar do Design, pensamento crítico e engajamento para resolver questões que melhorem a vida das pessoas o Design Thinking entra em cena.

Por que estudar Design Thinking

O estudo e a aplicação do Design Thinking trazem benefícios diversos. Antes de mais nada, porque a abordagem consegue oferecer um componente muito importante para sobreviver na sociedade e no mercado de trabalho atuais: a inovação. Em sua definição mais simples, a inovação significa a capacidade de mudar ou criar algo novo a fim de melhorar a vida das pessoas.

Por isso, quem quer inovar não terá dificuldades em assimilar esse propósito ao do Design Thinking, que se baseia basicamente em acelerar a inovação e propor mudanças que geram valor.

Além disso, o estudo do Design Thinking propõe 4 mudanças importantes e úteis para quem quer se tornar um profissional melhor e mais inovador. Para explorar o potencial de mudança positiva, o pensamento do Design Thinking segue essas quatro grandes mudanças:

  1. Decisões sempre centradas e voltadas para o ser humano;
  2. Questionar as questões o tempo todo;
  3. Construir para pensar criticamente;
  4. E a iteração – ou seja, a capacidade de mudar, de se questionar e de quebrar o paradigma do que já se sabe e se fez.

Por fim, estudar Design Thinking também também confere a seus estudiosos uma capacidade importante: a de desenvolver e estimular a empatia na hora de desenvolver soluções. Ao centralizar as pessoas como foco das decisões tomadas no Design Thinking, quem o pratica consegue enxergar pelos olhos dos outros e, assim, resolver de fato os problemas que possam os afligir.

As 7 etapas da abordagem do Design Thinking

O processo de aprendizado do Design Thinking é flexível e iterativo. Isso significa que não existe medo de errar e de tentar de novo, e que não saber alguma coisa faz parte do processo de busca pelas melhores soluções. Por outro lado, não significa que para o Design Thinking acontecer não é preciso de uma estrutura. A abordagem não é uma metodologia engessada, com um passo a passo linear que termina em resultados mágicos. Conheça então as 7 etapas que norteiam o aprendizado do Design Thinking na prática:

Entendimento

Para resultar nas melhores soluções, o Design Thinking propõe que o momento de sugerir e criar as melhorias só aconteça após um vasto período de compreensão. Por isso, a primeira etapa do Design Thinking é um momento de entendimento do problema que será resolvido. O ponto de partida é um entendimento 360? do desafio inicial, um momento de abertura do olhar e de preparação para levantar e colher todos os dados disponíveis sobre a situação.

Observação

Em seguida é o momento de observar. É hora de sair a campo, de pesquisar, de entrevistar as pessoas e desenvolver empatia. A etapa de observação é a de sair da zona de conforto, de falar com as pessoas e buscar convergir os olhares em torno delas.

Ponto de vista

A etapa de ponto de vista é o momento de convergência do pensamento. Provavelmente o passo mais difícil do projeto, o ponto de vista é a hora em que os dados, observações e informações levantados precisam formar um fechamento. O que as fases anteriores permitiam de divergência e levantamento de hipóteses não tem mais espaço aqui – é hora de buscar consenso no projeto.

Ideação

Agora o ponto de vista precisa resultar em ideias. A etapa de ideação no Design Thinking é onde o projeto começa a se direcionar para as soluções. De forma estratégica, o grupo envolvido no projeto transforma toda a pesquisa feita até agora em um set de direções e soluções tangíveis.

Prototipagem

Chegando até aqui, as ideias saem do papel para ganhar vida. Por isso, prototipar é preciso. Criar protótipos é importante para evitar prejuízos futuros e para medir o quanto antes as percepções em cima da solução criada. Os protótipos são simples, sujos e criados rapidamente, diferente da versão final da solução que será sofisticada. O importante agora é produzir logo algo tangível para poder avançar nas etapas.

Teste

Ideias boas precisam ser validadas antes de serem encaradas como verdades ou como algo definitivo – e esse é o momento certo. Testar os protótipos e as hipóteses é o que vai validar o projeto até agora. Mesmo assim, testes não precisam dar certo – agora também é a hora de falhar. Se o teste apontar uma direção diferente da que vinha sendo seguida, não se preocupe. Isso faz parte do processo e é assim também que se segue para a etapa final.

Iteração

Não, você não leu errado – a palavra aqui é iteração mesmo. Iterar é ouvir e absorver os feedbacks que conseguimos até a etapa de testes. É nesse momento que o Design Thinking se mostra flexível e adaptável, pois a iteração permite que voltemos em etapas do caminho para refinar as soluções e elevá-las a um próximo nível.

Quer aprender Design Thinking na prática para melhorar o seu trabalho? Conheça as opções de curso da Escola Design Thinking. Fundada pela Echos, Laboratório de Inovação, a escola disponibiliza várias opções de curso. Existem modalidades presenciais, online ou você pode até levar o curso para dentro da sua empresa.

 

Clique aqui para comentar ( )