Artes

Processos criativos – Lettering

Instagram - @meiradg

Lettering.

Seja feito à mão ou no ambiente digital, pode ser definido como “a arte de desenhar letras”, sem a necessidade de seguir um modelo de escrita.

Cada artista tem seu modo de trabalhar, não existe um modelo de sucesso. Até porque, algumas vezes você vai conseguir trabalhar diretamente na arte final, de primeira. Outras, vai precisar transferir sua criação do computador pro ambiente físico.

Alguns de vocês podem até já ter visto meu trabalho de lettering manual pela internet. Posto alguns vídeos relacionados ao processo de customização de alguns objetos e placas, às vezes alguns treinos diários de caligrafia. Já ouvi alguns comentários positivos, que diziam que os vídeos que postava eram quase um tutorial, pois sempre gostei de apresentar o passo a passo.

Mas por mais que sejam detalhados e eu goste de mostrar todos as etapas, existe uma trajetória extensa além do vídeo para que eu possa realizar um trabalho satisfatório. Pode parecer até “fácil” quando se assiste à alguém produzindo um lettering, mas saiba que existem muitas etapas antes da finalização em si.

Saiba qual é o destino final do lettering

Arquivo pessoal 

Antes de mais nada, você precisa escolher o objeto que usará como base para sua arte. Isso vai influenciar em todas as suas escolher dali pra frente. As possibilidades numa folha de papel tamanho a3 em alta gramatura são completamente diferentes das possibilidades numa customização de um objeto qualquer de decoração. O tipo de material e o tamanho do objeto são informações primordiais pra dar início ao trabalho.

Qual vai ser a palavra/frase à ser customizada?

Arquivo pessoal 

Um certo ditado ou uma certa palavra pode favorecer à algum estilo de caligrafia/lettering, e essa identificação pode ser primordial pra criação (da escolha do estilo, aos materiais utilizados na criação).

 

Ferramentas disponíveis para a customização

Arquivo pessoal

O que você tem em mãos é suficiente pra produzir sua arte? Vai precisar correr atrás de material ou produzir algum? Vai tentar improvisar de alguma forma? Questões importantíssimas para que tenha o necessário em mãos, antes de mais nada. Até porque, por exemplo: se você só tiver uma caneta de ponta chanfrada, não conseguirá construir um lettering que feito em letras cursivas tão bem quanto com uma caneta estilo pincel (conhecidas popularmente como “brush pen”). Afinal, cada ferramenta tem seu propósito principal.

 

Definição do estilo à adotar na customização + pesquisas

Arquivo pessoal

Estamos quase lá: você já tem em mente qual estilo seguir? Vai criar algo novo, no improviso? Vai misturar técnicas? O ideal é sempre se nivelar por cima! Tenho meus artistas preferidos, onde busco referências diretamente muitas das vezes, porém, há alguns dias atrás, indiquei em meu Linkedin uma lista de contas de instagram para inspiração, elas sempre estão compartilhando o melhor do lettering pelo mundo. Podem ajudar qualquer um que precisa de um empurrãozinho quanto à qual estilo seguir. Lembre-se: ter boas referências te ajuda a dar um UP no seu trabalho, mas copiar os seus artistas preferidos só vai te fazer um bom “copista”. Costumo manter uma pasta no Pinterest também, com diversas técnicas/estilos diferenciados que ainda não experimentei e procuro usar uma dessas referências a cada trabalho novo.

Mão na massa

Arquivo pessoal

Essa é a parte mais divertida, onde a mágica acontece: quem aposta no freehand já bota a mão na massa de primeira, pincel/caneta na mão, e bola em jogo!

Quem é mais “calculista”, às vezes prefere iniciar o lettering no papel ou mesmo no computador, finalizá-lo e decalcar o desenho, antes de começar a mandar ver na arte final.

São particularidades, não existe certo ou errado e cada caminho tem suas qualidades.

 

Finalizando

Terminou? Pode ser que você não queira mais mexer no trabalho, ou por não querer arriscar “estragar” o que já foi feito, adicionando algo extra, ou por já estar satisfeito com o resultado final. Pode ser também que você demore uns dias olhando para sua arte final, e decida acrescentar alguns detalhes. O fato é: sempre tive medo de “completar” minhas artes, porque poderia perder todo um trabalho extenso se errasse um pequeno traço ou detalhe (aconteceram muitas coisas do tipo). Se você olhar pra arte, gostar de como tenha ficado, mas ainda achar que pode enriquecer com detalhes, minha dica é: vá em frente. Se arriscando, a gente consegue elevar o nosso nível, sempre.

 

Almejar sempre melhores resultados e tentar novas técnicas é obrigação.

Lettering é prática pura! :)

 

Grande abraço, boa prática e até a próxima!

 

 

Clique aqui para comentar ( )