Qual a função do design gráfico?

Estamos de volta! Depois de algum (belo) tempo longe da escrita, resolvi voltar à ativa (sempre que puder trazer um conteúdo que seja interessante). E de cara, resolvi abordar um tema curioso e relativo especificamente à minha área de atuação.

Você é daqueles que, assim como eu, fica se perguntando o por quê de tudo? E em algumas dessas “viagens” consigo mesmo, começa a se perguntar o por quê de coisas que parecem óbvias, mas podem não ser tão óbvias assim?

Isso acontece frequentemente comigo, e há alguns dias, venho pensando em minha trajetória profissional como designer gráfico (que não é das mais extensas, mas já é algo considerável) e em tudo o que me fez chegar aqui. E vagando nesses pensamentos, claro que sempre soube o que me fez ter tais escolhas profissionais (isso é tema pra outro artigo), mas fiquei me questionando sobre como eu contribuo/posso contribuir, de alguma forma, com as pessoas, com a evolução da cena local e até pro mundo com meu trabalho como designer gráfico.

Resumindo esse grande questionamento, na verdade eu estava me pensando: Para quê, de verdade, serve o design gráfico?

Parece uma indagação incomum para um profissional da área desde 2013, mas é claro que eu não estava buscando respostas próprias como: criação de materiais gráficos e web, projetos editoriais e de identidade visual, ou coisas do tipo. Eu estava buscando algo além, conclusões “maiores” do que essas, tão rasas e banais.

Resolvi sentar pra refletir e acabei anotando alguns tópicos que estarão listados abaixo:

1 – Design informa

O que seria de uma capa de jornal ou revista sem um layout claro e eficiente? Esse é só um exemplo básico e rápido de como diagramação é algo importante para o nosso cotidiano, e esse trabalho é feito por um profissional de design gráfico. Seja ele um diagramador de flyers, bulas, livros, ou também um editor de vídeo que consiga transmitir, com clareza e objetividade, informações num layout digital quando necessário o uso de títulos/chamadas. Sem leiturabilidade/legibilidade, a informação se perde.

2 – Design conscientiza

Acho que o exemplo dessa imagem diz mais do que mil palavras. O designer gráfico, junto à um publicitário, sempre cria materiais impactantes quando o assunto é inovação em campanhas.

3 – O design dá ao mundo algo que ele não sabia sentir falta

Designers são extremamente visuais: têm a capacidade de ver coisas antes que se tenha qualquer coisa para ser vista. Graças ao “espírito curioso” e à criatividade que é tão trabalhada ao longo da carreira, os designers são moldados para tentar inovar sempre. E em muitos projetos, podem trazer uma abordagem completamente diferente de tudo o que já foi visto em qualquer meio, e por meio disso, até criam novas tendências.

4 – Design resolve problemas

Design é: a capacidade de entender um ou mais problemas, procurar alternativas inovadoras para o assunto e testar o conceito selecionado, colocando-o em prática. E na área do design gráfico não é diferente. O designer gráfico está buscando sempre a resolução de problemas para seus clientes com novas abordagens e ideias criativas por meio da linguagem visual para que possa criar ainda mais valor para as empresas que atende. Ser designer gráfico não é fazer o que o cliente quer, e sim o que ele precisa.

5 – Design valoriza

O valor de uma marca está em sua capacidade de inspirar. Elas crescem quando encontram seu propósito. E o design gráfico é, sem dúvida alguma, braço direito de qualquer projeto que precise ser notável para que, trabalhando para sua marca, ela (a sua marca) possa trabalhar para o seu negócio.

O design gráfico pode ser um grande parceiro para alavancar o seu projeto. Não veja como apenas um “parceiro visual”.

Grande abraço,

Bruno Meira – @meiradg

Related posts

Dengo Chocolates lança primeira trufa com embalagem zero plástico do mercado

A’ Design Awards & Competition – Vencedores

Quando a Inovação pode se tornar um problema? – UI Design