Design

Quanto devo cobrar?

Pexels

Fala criativos!

Hoje gostaria de falar sobre um tema recorrente tanto entre iniciantes quanto entre pessoas mais experientes, não só um tema importante, como inevitável para qualquer um que tenha a ambição de se tornar freelancer ou abrir seu próprio negócio.

Parte fundamental de lidar com clientes é conseguir monetizar o serviço que você está oferecendo a um preço que seja ao mesmo tempo viável para seu cliente e que consiga pagar seus gastos e render certo lucro. Contudo, é nesse momento que muitas pessoas acabam se complicando e, muitas vezes, tomando decisões que lá na frente podem vir a dar problemas, portanto vamos conversar aqui algumas boas práticas e coisas que não devem ser feitas nessas situações.

1) Saiba quanto é o seu custo de vida

Muitas pessoas vão lhe recomendar que cobre em cima de sua hora de trabalho, outras dirão que você deve cobrar diárias e outras falarão que deverá cobrar um valor fechado pelo projeto. Independentemente do que você escolher é necessário ter em mente que o que você irá cobrar tem que ter seu custo de vida em vista. Ou seja, se for cobrar por diárias, pense quanto tem que ganhar por dia para pagar suas despesas ao final do mês, se for cobrar por hora, divida esse valor por 8 horas diárias (ou mais, dependendo de sua rotina).

2) Aprenda a estipular limites

Um dos maiores problemas na hora de cobrar é não estipular os limites do projeto, saber até que ponto ele vai ser realizado, criar um cronograma de realização e esclarecer quantas e que tipo de alteração poderá ser realizado sem custo adicional e passado isso como será taxado o projeto. Um dos maiores problemas que iniciantes enfrentam é não ter um contrato claro e conciso para ambas as partes , o que leva a problemas futuros como abuso de alguma das partes e/ou mal entendidos que podem atrasar ou até cancelar o projeto. Aprenda mais sobre como montar um contrato e me agradeça depois.

3) Compreenda a realidade do cliente

Nem sempre você irá trabalhar com clientes grandes, boa parte das vezes você pegará projetos de pequeno e médio porte, principalmente no início da carreira. Meio óbvio dizer, mas apenas reforçando, muito desses projetos não lhe pagaram fortunas e muitos nem lhe serviram para portfólio, por isso tenha em vista que nem sempre se poderá cobrar o que se gostaria, porém sempre é possível cobrar justo. Não se esqueça que muitas vezes o cliente não poderá pagar o seu valor, mesmo ele sendo um preço justo e condizente com seu custo de vida, isso não é problema, apenas faz parte de fazer negócios, o importante nesses casos é deixar as portas abertas para futuros negócios, não é porque agora este cliente não pode investir nos seus serviços que futuramente ele não terá uma verba para isso, mantenha uma boa relação.

4) Existem projetos que você é que deverá investir

Sim, já falamos aqui no DC bastante sobre trabalhar de graça e quando isso é pertinente, logo gostaria de enfatizar novamente esse ponto visto que haverão oportunidades em que cobrar por seus serviços não será a saída mais adequada. Situações como trabalhos para instituições de caridade, alguns concursos e/ou alguns trabalhos para família e amigos próximos, são os casos mais recorrentes onde cobrar pode ser bem complicado e gerar problemas. Não estou dizendo que você tem que aceitar essas propostas, visto que todo mundo precisa ganhar dinheiro, mas compreenda que existem casos em que estará implícito que você fará trabalho sem cobrar pois se identifica com a causa.

 

É isso ai pessoal, espero que o post tenha sido de auxílio, caso queria saber mais sobre mim, me sigam no Instagram  / Behance / Artstation

Clique aqui para comentar ( )