branding

Rebranding – Saiba o que é e como pode ajudar o seu negócio

A presença digital é importante para que qualquer negócio seja competitivo nos dias de hoje. Ter um site e um registro de domínio, por exemplo, auxilia na consolidação dessa presença. No entanto, de nada adianta investir em uma boa presença online sem levar em conta também um bom trabalho de posicionamento (ou até de reposicionamento) da marca da empresa. O conceito de Rebranding tem relação com isso. Ele consiste em ações estratégicas que possuem o objetivo de redefinir e atualizar a marca de um negócio. Nesse artigo, mostraremos a você alguns conceitos importantes acerca desse tema.

Rebranding – Quando e por qual motivo fazer?

A marca é um dos bens mais valiosos de uma empresa. Ela é a identidade de um negócio, um símbolo, a imagem que os consumidores associam ao entrarem em contato com um determinado serviço ou produto. Mas justamente por ser tão importante, realmente é necessário efetuar mudanças na marca da empresa? A resposta é: depende. São vários os fatores que demandam o uso das estratégias de rebranding.

Nem sempre o reposicionamento da marca deve ocorrer em períodos de crise na empresa. Em alguns casos, o objetivo de entrar em contato com um novo público é uma boa razão para o rebranding. Além disso, outros motivos podem ser uma necessidade natural de conferir um visual atualizado para o negócio e para a marca, ou uma reformulação estratégica para superar uma crise que prejudicou a imagem da empresa. Nesse contexto, é possível contar com diferentes tipos de rebranding. Para entender cada um deles vamos ver os exemplos a seguir. 

Rebranding Evolutivo

Esse tipo de reposicionamento é o mais conhecido. Ele é usado com o intuito de atualizar a imagem da marca no mercado, conferindo a ela um visual mais moderno e a revitalizando para os novos consumidores. Um exemplo disso é a marca da Shell, que ao longo do século XX sofreu algumas alterações no símbolo representado por uma concha.

Rebranding Parcial

Essa é uma ação destinada para marcas que almejam atualizar de forma parcial a identidade da marca. Ou seja, a marca não altera totalmente os elementos principais que a identificam, mas altera em partes o que já é padronizado.

Rebranding Radical

Ao contrário do rebranding do tipo parcial, o radical consiste na mudança total dos elementos identificadores da marca. Ele é usado quando o objetivo é atingir um novo mercado ou revitalizar a empresa após uma crise que provocou o desgaste da imagem.

Saiba como fazer o Rebranding

Independente dos motivos que levam o seu negócio a adotar as estratégias de rebranding, é importante conhecer as principais medidas para a realização correta dessa ação. 

Mudando a identidade visual

Ao alterar a sua marca, é importante pensar também na identidade visual do seu negócio. Lembre-se que é fundamental que todos os produtos dialoguem com o que foi estabelecido para a nova marca. Saiba que para reforçar o reposicionamento é preciso pensar em todos os elementos visuais. Com isso se torna mais fácil reforçar essa conexão. Sendo assim, não basta apenas trocar a primeira imagem da marca.

Utilizando os canais online

Na era digital o rebranding e a presença online formam uma dupla poderosa. Por essa razão é que o reposicionamento depende muito do uso adequado das mídias sociais. Mudar o layout do site da empresa para se adequar a essa nova identidade visual é um exemplo. Além disso, é preciso também ter uma estratégia bem definida do uso das redes sociais, como Twitter, Instagram, blog e outros.

Incentive a curiosidade do público

Para reforçar o rebranding é preciso fazer o seu público se interessar pela mudança promovida. Nesse caso, uma campanha de e-mail marketing tem o seu valor ao atiçar a curiosidade anunciando a “chegada de novidade”. Sobretudo, é importante que qualquer estratégia dialogue com outros canais da sua empresa, tais como o blog, as redes sociais e o site institucional. 

Inclusive, para suportar a quantidade de acessos, vale investir ainda em um serviço de hospedagem e um registro de domínio. E por falar em domínio, dependendo das mudanças da marca, também será necessário fazer um novo registro de domínio e alterar totalmente o site da empresa. Não dá para deixar de lado o acompanhamento da estratégia de rebranding. Por isso, é fundamental monitorar as primeiras impressões do público em relação ao lançamento da campanha. 

Além do mais, o rebranding normalmente é um processo demorado, o que facilita o monitoramento.

Conheça alguns exemplos de Rebranding de algumas marcas

Existem vários exemplos de empresas que, ao longo dos anos, por vários motivos, tiveram que adotar estratégias de rebranding. Logo abaixo vamos conhecer algumas bem famosas. 

Pokemon Company

Os responsáveis por desenvolver a franquia Pokémon chegaram à conclusão de que o público interessado no produto era bastante segmentado. Ou seja, era constituído especialmente por quem consumia ou era fanático pelo jogo. Para alterar essa situação e apresentar a marca para um público muito mais amplo, foi lançado o Pokémon Go, que poderia ser baixado de forma gratuita por meio do celular, ampliando a quantidade de usuários.

Apple

Em 1997, quando Steve Jobs retornou para a Apple, a volta do CEO também simbolizou algumas mudanças que refletiram na identidade da companhia. Foi assim que a famosa marca da maçã sofreu alterações sutis nas cores. 

McDonalds

O documentário “A Dieta do Palhaço” foi lançado em 2004. E nessa produção, o cineasta Morgan Spurlock passou um mês ingerindo e consumindo alimentos de restaurantes da rede McDonald’s.

O resultado dessa empreitada, além dos prejuízos à saúde do protagonista, foi também um prejuízo à imagem do McDonald’s. 

A empresa, com o intuito de mostrar que não era a fonte de todo o mal na Terra, necessitou realizar um amplo esforço de rebranding. Nesse caso houve mudanças até mesmo no menu dos seus pontos comerciais.

Mastercard

Na era dos bancos digitais e das transações financeiras sendo realizadas por meio de smartphones, a Mastercard decidiu passar por um rebranding.

Diante disso, a empresa mudou completamente a sua estrutura visual para se adequar cada vez mais ao segmento mobile. Com isso, a Mastercard se preparou para atender o público mais jovem e habituado com as novidades da tecnologia.

Mudar para melhorar – Esse é o principal objetivo do Rebranding 

Esse é o princípio do rebranding. Por meio dele as marcas podem ampliar o público, melhorar a imagem diante de uma crise ou apenas se adaptar aos novos tempos. Na atual era digital, saber como e quando fazer um rebranding é tão importante quanto ter um site e um registro de domínio. Isso vale tanto para empresas gigantes quanto para os pequenos negócios. Apple e McDonalds são dois exemplos disso.

Portanto, quando for necessário mudar, utilize as estratégias e as ferramentas adequadas para isso. E não se esqueça que mais do que um símbolo, a marca de uma empresa carrega toda uma filosofia e valores, os quais os clientes passam a se identificar. 

Clique aqui para comentar ( )