Comportamento

Uma rotina diferente na realidade dos outros: estratégias cotidianas para portadores do TDAH

Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH – uma realidade para diversas pessoas, mas pouco compreendida e aceita pela maioria.

Para simplificar, a sociedade em geral tem agudo preconceito com doenças que não tem sua origem em bactérias e vírus. O que apesar de estúpido, é compreensível dado nossa formação sociocultural. Contudo, O TDAH não está ligado a fatores culturais ou conflitos psicológicos, mas sim em pequenas alterações na região frontal do cérebro, responsável pela inibição do comportamento e do controle da atenção. O diagnóstico, quanto mais precoce, possibilita tratamento adequado e diminuição dos impactos durante a vida.

Meu diagnóstico foi obtido apenas na fase adulta, o que apenas esclareceu os diversos impactos na minha vida até aquele momento. A falta de atenção; dificuldade de lidar com ações objetivas no momento necessário e diversos outras questões que prejudicaram minha caminhada. Por isso, decidi pesquisar, me aprofundar e gerar rotinas que facilitassem a gestão e o convívio com este transtorno e aqui nos encontramos.

Grande parte das pessoas desconhecem que o TDAH também persiste na vida adulta. Essa condição gera enorme dificuldade nas relações interpessoais com cônjuges, familiares e amigos, assim como na vida profissional.

Aqui vale uma ressalva: não existe autodiagnóstico, os sintomas que irei listar tem apenas o objetivo de “acender o sinal de alerta” para buscar orientação de um profissional da área de Psicologia para melhor validação e apontamento do tratamento e acompanhamentos que serão necessários.

Na vida adulta, os sintomas são vivenciados com maior intensidade e frequência, o que não significa dizer que tendo-os, você possui TDAH. O diagnóstico deve ser obtido através de um profissional especializado. Ok?

Vamos então conhecer alguns sintomas:

– Instabilidade profissional

Sabe aquela sensação de empolgação inicial pelo novo trabalho, novos colegas e como em um passe de mágica isso se perde em pouco tempo? Essa é uma realidade complicada e que gera diversos problemas no campo profissional.

– Rendimento abaixo da capacidade intelectual

Particularmente, uma das piores sensações. Você é dinâmico, aprende com facilidade qualquer coisa, mas na execução você rende abaixo ou muito abaixo do esperado.

– Falta de foco e atenção

Estar lendo um livro e ouvindo claramente a conversa que acontece do outro lado da parede ou buscar por sons enquanto está tentando ler um relatório… comum? Nem um pouco. Um dos sintomas mais conhecidos, mas ao contrário do que a maioria entende como uma “simples” falta de foco e atenção, para o portador de TDAH em fase adulta é algo perturbador e incontrolável.

– Dificuldade de seguir rotinas

Se um dos maiores aliados é a geração de boas práticas/rotinas, esta uma das suas maiores dificuldades. Rotinas simples, seja no relacionamento, dieta, acadêmia e afins são um desafio extremo.

– Tédio

Não estamos aqui falando do “tédio por não fazer nada”, mas sim do tédio por tudo. Dado o problema que citei acima, a principal consequência é a sensação aguda de tédio pela rotina que está sendo exigida. O que traz consigo uma frequente busca por novas coisas que o estimulem e uma intolerância a situações monótonas e repetitivas

– Maior incidência de divórcios e separações conjugais e dificuldades nos relacionamentos; relacionamentos instáveis

Acabamos de falar de rotinas e tédio. Então, acredito que os motivos pelos quais a separação e o “turnover afetivo”! Em um momento da vida existe a necessidade de desenvolver relacionamentos que é, pouco a pouco, substituída por uma sensação de incapacidade de fazê-lo, culminando num processo comum de acomodação na máxima de “nasci para ser sozinho”.

– Dificuldade de planejamento e execução das tarefas propostas

Imagine se especializar em Gestão de Projetos e esses fatores serem seu pior inimigo. Prazer! Essa é a minha realidade.

– Procrastinação

Aqui vale uma ressalva: procrastinar não é um problema. Por mais que diversos geradores de conteúdo tentem ensinar como “NÃO PROCRASTINAR”, estão caindo em um erro infantil e comum. A procrastinação é importante para o processo criativo e principalmente para regulação da atenção e do gerenciamento de energia gasto nas tarefas cotidianas. A grande questão é como você gere seu tempo em relação aos intervalos que são necessários. Para o portador de TDAH? – principalmente na fase adulta? – ?esse é outro desafio dado todos os pontos citados acima.

– Ansiedade diante das tarefas não estimulantes

Atividades que exigem alto foco e conteúdo repetitivo são perturbadoras e de difícil execução para os portadores de TDAH.

– Maior índice de desistência em Universidades / evasão escolar

Sabe aquela animação/empolgação que comentei acima sobre a instabilidade profissional? Ela segue a mesma estrutura quando falamos do ensino. Particularmente, conheço essa sensação de perto ao ter iniciado diversos cursos e graduações e não conseguir dar seguimento.

– Frequente alteração de humor

Enquanto escrevo este artigo passo por dois momentos: inicialmente motivado e feliz por tentar ajudar outros que passam pelo mesmo problema e não conseguem desenvolver-se; noutro momento uma raiva absurda com as lembranças dos julgamentos e menções em jantares com familiares e comentários de colegas sobre sua “falta de brio, maturidade e foco”, como se fosse algo que optamos. Normal para você? Para mim é comum!

Então imagine estar com sua noiva extremamente feliz em uma ligação e de repente, quando sua atenção minada por outra coisa, você sentir uma vontade absurda de desligar por estar com raiva da pessoa no mesmo instante.

Agora estenda isso à grande maioria das situações do cotidiano.

– Frequentes esquecimentos, perdas e descuidos para datas, reuniões importantes e objetos pessoais

Apesar de ser uma questão que muitos irão resolver com o uso de agendas, lembretes, google calendar e afins? – ?ao mesmo tempo? – ?a grande questão é o impacto causado por esses esquecimentos, perdas e “descuidos”.

– Dificuldades para expressar suas ideias, colocar em prática o que está pensando/em sua cabeça

Ou complicamos demais a explicação ou a execução. Além, é claro, de uma constante necessidade de revisar inúmeras vezes os textos, emails e artigos escritos, dado que você tem certeza que organizou bem e escreveu tudo que precisava, mas esqueceu de escrever diversas palavras, frases….

– Dificuldade para escutar e esperar a sua vez de falar

Se isso já é complicado no dia a dia com amigos, familiares e conjuge, imagine isso em reuniões de briefing, relatórios e brainstorming.

– Repetição frequente de erros, frequente falta de atenção com coisas simples

Normalmente mal julgada e um grande entreveiro para relações dos mais diversos âmbitos.

QUER ENTENDER MELHOR E AVALIAR SUA FALTA DE ATENÇÃO: Um questionário pode ajudar a avaliar a intensidade da falta de atenção. As perguntas servem como ponto de partida para o levantamento de alguns possíveis sintomas primários do TDAH. É importante ter um diagnóstico correto do transtorno. Veja o questionário da Associação Brasileira de Déficit de Atenção

O TDAH na vida adulta gera esses e outros diversos problemas que “travam” a vida de diversas pessoas. Aqui, a palavra de ordem é gestão! Boas práticas e rotinas não irão curar? – ?pois ainda não há cura para o transtorno – ?, mas possibilitar que você tenha condições de desenvolver-se e atingir seus objetivos.

Apesar de desesperador, o convívio com o TDAH, principalmente na vida adulta, pode ser facilitado com algumas práticas, aliadas a um acompanhamento profissional. Então, aqui vai o maior desafio: busque praticar continuamente essas dicas. Apenas a geração de uma rotina pode culminar em um hábito e é aqui onde o TDAH se coloca como forte oponente.

Aqui precisamos partir de uma premissa: você se reconhece como portador de TDAH.

E porque isso é importante? É preciso reconhecer as limitações e se reconciliar com a realidade. Não fingindo que é diferente, mas lidando com as diferenças a fim de obter uma melhora real nas relações pessoais e de trabalho, mas principalmente consigo mesmo.

Estresse e as alterações de humor

Para lidar com os pontos que citamos? – ?impulsividade, distração, tédio – ?é importante mudar alguns comportamentos que seguem esses sintomas, como dormir poucas horas, pouca (ou nenhuma) atividade física, somado à dieta alimentar irregular.

Fonte: Fotolia

Esses comportamentos trazem consigo uma acentuação dos sintomas do TDAH. Sendo assim:

  • Evite o consumo de cafeina e estimulantes antes do horário de dormir, assim como exercícios nesse horário. O corpo precisa de uma rotina de descanso para aumentar a capacidade de manutenção de foco;
  • A prática regular de exercícios alivia o estresse e fornece a queima do excesso de energia;
  • Uma boa alimentação com menor concentração de sódio, carboidratos e mais proteínas ajuda a reduzir os sintomas de alteração de humor, além de fornecer o conjunto de nutrientes que o corpo precisa para um bom funcionamento e geração/queima de energia.

Organização? – ?em todos os sentidos? – ?é o seu segundo desafio

Distração e a falta de atenção tornam a vida de um adulto com TDAH um verdadeiro desafio, deixando-o sobrecarregado. É aqui que precisamo de maior atenção, pois vamos lidar com os processos. As dicas a seguir, foram elaboradas para ajudar a pessoa com TDAH a organizar melhor a sua vida.

Antes de continuarmos, você precisa reorganizar seu espaço.

Fonte: Fotolia
  • Jogue ou guarde em um lugar específico tudo que você não usa em sua rotina. O acúmulo de informações visuais e aparatos acaba distribuindo sua atenção fazendo aumentar os sintomas;
  • Distribua seu espaço em áreas: um ambiente organizado com boletos em um lugar a mesa, fones e cabos em outro e assim por diante condicionam uma rotina que fará com diversas ações sejam mais automáticas;
  • Agendas? – ?seja física ou em programas – ?pode facilitar a gestão de horários, compromissos e ações. Evernote, To Do It ou até mesmo o Google Calendar e o sistema de lembretes de seu Iphone ajudarão nesse processo;
  • Para melhorar a execução das tarefas eu crio listas de todas as ações que eu devo executar. Junto aos programas que citei anteriormente uso o Trello para criar quadros onde delimito ações e planejo com a maior riqueza de dados que eu puder a fim de melhorar o desempenho das minhas ações;
  • Tarefas como responder a um e-mail importante, limpar sua bagunça, retornar uma ligação, preparar uma apresentação não podem ficar para ‘’o dia seguinte’’, faça agora;
  • Separe alguns minutos do seu dia para checar seus e-mails, evitando abrir sua caixa de correspondência de 5 em 5 minutos. Responda, arquive ou apague na hora, dependendo do caso.

Aqui temos um impasse, gestão do tempo.

Existem diversas práticas de gestão do tempo. O mais importante é que é imperativo que você encontre a melhor forma de gerir o tempo de execução de tarefas. Uma das melhores práticas para pessoas com TDAH é o POMODORO, assunto que abordei neste artigo. Ele fornece a regulação de tempo de atenção dedicada, combinado com as pausas necessárias para descanso e procrastinação que irão melhorar execução de tarefas, reduzindo os sintomas.

Aliado a essa metodologia podemos adicionar algumas práticas:

  • Use um relógio: Pode ser de pulso, timer, alarme, celular ou do computador? – ?desde que esteja sempre à vista e com o horário certo. Quando começar uma tarefa, diga em voz alta ou anote o horário, alem de definir uma quantidade de tempo para a mesma;
  • Defina as suas tarefas mais importantes do dia e depois as com menor importância;
  • Crie uma curta rotina diária e defina um tempo para ela. Arquivar documentos, retornar ligações, responder e-mails, pagar contas, etc. podem ser feitos durante um mesmo período de tempo (por exemplo: 60 minutos) e sempre na mesma ordem. Dessa maneira, você não se esquecerá de fazer nada importante e conseguirá realizar todas as suas tarefas.
  • Dê mais tempo do que você julgar necessário. Por exemplo, se você acha que para realizar determinada tarefa, ou encontrar alguém em outro lugar, você levará por volta de 30 minutos, adicione mais 15 minutos. Com certeza você irá se atrasar.
  • Anote os horários de seus compromissos com 15 minutos (ou o tempo que você julgar necessário) de antecedência e use alarmes para que você chegue na hora certa.
  • Execute seus compromissos um de cada vez. Caso seja um grande projeto, divida-o em pequenas partes e termine-os um de cada vez.

Agora, temos o maior desafio.

Um dos maiores desafios do adulto com TDAH é sua impulsividade. Convivo com isto desde as mais simples decisões até às mais importantes. O problema está em ter uma enorme dificuldade de dizer “não”. Aceitar diversos compromissos de uma vez, sem ponderar, avaliar é uma das consequências desse que, para mim, é um dos piores.

Dizer não é um dos atos mais desafiadores e que pode gerar os melhores resultados. Aceitar todas as oportunidades pode – ?e na grande maioria das vezes vai? – ?gerar péssimos resultados. Isto gera sentimentos de frustração, baixa autoestima e incompetência.


Como disse anteriormente, essas dicas não irão solucionar seu problema. São apenas dicas de alguém que convive com o transtorno e enfrenta/conhece as dificuldades da caminhada com TDAH.

TDAH não tem cura, mas a ignorância tem, o conhecimento! Então compartilhe esse conteúdo com seus amigos e vamos contribuir com o crescimento de diversas pessoas.


Referências

  • Gentile JP, Atiq R, Gillig PM (Agosto de 2006). «Adult ADHD: Diagnosis, Differential Diagnosis, and Medication Management». Psychiatry (Edgmont)
  • Inquietos Tardios: TDAH não tem idade – ABRIL
  • TDAH no Adulto – www.tdah.org.br
Clique aqui para comentar ( )