Design

Porque Design Gráfico é Comunicação

O conceito de Design é um assunto em permanente discussão, principalmente por ser uma área profissional tão dinâmica que ultrapassa conceitos, a ligação histórica com a tecnologia já é um fator que por sua vez influencia nas constantes  mudanças, novas pesquisas e descobertas na área tem seu papel no desenvolvimento e difusão de novos conhecimentos a nível mundial; há sempre coisa nova a aprender, todos os dias.

A relação entre design gráfico e comunicação é traçada desde o surgimento do homem; o uso de sangue já marcava uma intenção, uma tentativa humana de querer comunicar com o outro visualmente. As escritas feitas sobre as pedras, as marcas deixadas nas cavernas, foram marcantes para esse processo.

A substituição do artista e do artesão por um profissional devidamente focado para o design gráfico mostrou a necessidade de especificação da área para a comunicação, o que a arte não podia fazer (aliás, temos conteúdo suficiente para compreender esta grande diferença entre a arte e o design, aqui no DC, dai poder compreender também as suas relações).

Antes de abordarmos a comunicação como tal, vamos compreender algumas áreas atualmente importantes do design gráfico, em que está presente o processo comunicativo, no nosso dia-a-dia:

Identidade Visual, Corporativa e Impresso: trata da criação e desenvolvimento de marcas e logotipos, suas aplicações e usos. Contempla a produção de elementos impressos, visuais e gráficos: identidade corporativa aplicada a produtos, marcas e logotipos, manuais de marca, aplicações, cartões-de-visita, folhetos, anúncios, outdoors, faixas, banners, cartazes, entre outros

Design Editorial: é também designado Design Editorial, Paginação, Diagramação ou ainda Editoração é responsável pela a distribuição dos elementos gráficos no espaço limitado da página impressa de publicações. São exemplos: livros, jornais e revistas.

Sinalização: é uma área que visa criação de códigos visuais que proporcionem o rápido entendimento de informações ou advertências contidas, de forma inequívoca e imediata, recorrendo a signos e símbolos, pictogramas, setas, tipografia e cores. Geralmente encontramos esses sinais em locais públicos, como hospitais, aeroportos, escolas, avenidas ou supermercados.

Embalagem: responsável pelo projeto, desenvolvimento e desenho de peças tridimensionais, formais, comunicacionais e técnicos (proteção e conservação) de invólucros específicos para cada tipo de produto e para cada marca, assim como de seu tratamento gráfico e visual.

Design para música: é uma área relativamente nova no design gráfico, apesar de sempre ter existido. Lida com projetos de design para a indústria fonográfica, trabalha com a identidade visual da música e do artista. Desenha capas de CD, posteres promocionais e todo material gráfico relativo à música.

Computação gráfica e Interface Electrônica: está ligada a utilização de novas médias para criação de elementos visuais onde o computador é o principal instrumento de trabalho. Um site é um exemplo da aplicação desta área.

Animação e Áudio Visuais: compreende no desenvolvimento de imagens sequenciadas, reais ou abstratas, estáticas ou em movimento, bi ou tridimensionais, para utilização em apresentações, aulas, palestras, estandes ou filmes. Essas imagens podem vir acompanhadas de componentes sonoros e à união dessas imagens e som dá-se o nome de “audiovisual”, ou seja, é o meio de comunicação que usa conjuntamente imagens sequenciadas (signos, desenhos gráfico) e sonoros (voz, música, ruido, efeitos onomatopéticos), como, por exemplo, abertura de novelas, filmes, vinhetas de programas de TV.

Porque Design Gráfico é Comunicação?

A palavra comunicação vem do latim communis que traz a ideia de comunhão. Comunhão significa, de maneira bastante restrita, (…) transmitir, compartilhar, e é nesse sentido que entendemos comunicação: tornar comum, fazer saber, estabelecer comunhão por meio de intercâmbio de informações. (PEREZ & BAIRON)

Temos, assim dois tipos de comunicação: a verbal aquela que utiliza a linguagem escrita e falada e a não-verbal aquela que não se utiliza da linguagem escrita ou falada, é um código não-linguístico. No entanto todas estas formas de comunicação apresentam três elementos básicos propostos por Aristóteles, para que o processo comunicacional possa ocorrer: emissor; quem deseja comunicar, mensagem; o conteúdo a ser comunicado e receptor; quem recebe a mensagem emitida.

O design gráfico recorre a códigos próprios para emitir uma mensagem, geralmente são códigos que podem ser compreendidos pelo receptor, de maneiras que o processo comunicacional se efetive. Só há comunicação quando o designer (emissor) concebe um projeto gráfico (onde está a mensagem) e o leitor visual (receptor) compreende essa mensagem, pelo contrário é uma informação, e informação nem sempre é comunicação.

Comunicação tem a ver com a compreensão do emitido, daí a importância de o designer gráfico compreender o contexto em que emite uma mensagem, compreender os hábitos culturais, compreender os códigos usados para comunicar naquele contexto.

“O design gráfico, enquanto tal, necessariamente tem como função transcrever a mensagem a ser transmitida-seja de qual enfoque for – para o código simbólico estabelecido, sob pena de não efetivar-se enquanto prática comunicacional.” (VILLAS-BOAS, 2003)

Em qualquer situação em que o design gráfico se insere, seu objetivo é tornar fácil e compreensível a mensagem a ser transmitida, não é por acaso que tem uma forte ligação com jornalismo, publicidade (que não é design) e marketing, áreas que lidam efetivamente com a comunicação no seu dia-a-dia.

Fonte: www.peterjthomson.com

O design gráfico nas suas diversas áreas leva consigo, sempre uma mensagem que deve chegar a um leitor visual, sob forma de imagens visuais (comunicação não-verbal). Quando desenhamos um projeto e pretendemos transmitir sensação de uma revista ser tradicional e o leitor visual compreende isso, então o nosso papel como comunicadores visuais se efetiva, mesmo que este não goste do conteúdo escrito exposto na revista.

Fonte: www.grafiteca.info

O design gráfico é comunicação, porque organiza o conteúdo de uma embalagem que depois chega ao consumidor e este por sua vez compreende a mensagem visual e o conteúdo que a embalagem leva. O design gráfico é comunicação porque o cartaz sobre um festival de jazz levou o conceito ideal às pessoas. O design gráfico é comunicação porque nos influencia a comprar e ler um livro pela sua aparência visual, porque projetou um ícone que tem a ver com o nosso contexto social, é comunicação porque nos induziu a gostar de um filme que talvez teríamos odiado. O design gráfico é comunicação porque compramos um CD apenas pela sua capa, comunicou um conceito que tem a ver conosco. Porque compramos uma revista que por causa de sua capa e parecia o que procurávamos. O design gráfico é comunicação porque levou o conceito certo da nossa empresa aos nossos consumidores. É por tudo isso e muito mais que o design gráfico é comunicação.

VILLAS-BOAS André, O que é e o que nunca foi design gráfico, 5ª Edição, 2AB Editora Itda, 2003, Rio de Janeiro

KRUSSER Renata, Introdução ao Design Gráfico: livro didático, 3ª Edição revista e atualizada, Palhoça, UnisulVirtual, 2008

FAGGIANI, Kátia. O Poder do Design: Da Ostentação á Emoção. 1ª Edição. Thesaurus Editira de Brasília. 2006. Brasília.

Clique aqui para comentar ( )