Tecnologia

Samsung anuncia causa das explosões com o Galaxy Note7

Conforme o prometido pela Samsung, a companhia divulgou o resultado de suas investigações sobre as explosões do Galaxy Note 7.  As falhas responsáveis por tirar o produto de circulação, estavam relacionadas à bateria, como já era esperado. Segundo a fabricante sul-coreana, testes realizados nos celulares devolvidos pelos consumidores revelaram dois problemas distintos na bateria. Ambos tornaram o Note 7 propenso à combustão espontânea e até mesmo a explosões.

Depois de alguns meses de investigação profunda, a Samsung resolveu expor a causa dos incidentes com o Galaxy Note 7. Uma coletiva de imprensa em Seul (Coréia do Sul) foi convocada, onde comunicaram também as medidas de prevenção, além dos passos que as empresas está dando em busca da solução. O Presidente da Divisão de Dispositivos Móveis da Samsung, DJ Koh, compartilhou resultados da investigação e pediu desculpas, além de agradecer a compreensão e apoio dos clientes, operadoras e parceiro comerciais. Koh foi acompanhado por executivos da UL, Exponent, TUV Rheinland e grupos líderes da indústria, que realizaram investigações por conta própria.

Os porta-vozes foram:

Sajeev Jesudas, Presidente, Unidade de Negócios de Consumo, UL
– Kevin White, Ph.D, Cientista Principal, Exponent
– Holger Kunz,  Vice Presidente Executivo de Produtos, TUV Rheinland AG

Foram discutidas as descobertas provindas das investigações. Os executivos revelaram as novas medidas que a Samsung tomou em resposta aos incidentes. Com a experiência dos acontecimentos e das investigações, a Samsung aderiu a uma série de processos de controle de qualidade, com a intenção de garantir maior segurança do produto. A empresa também criou um “Grupo de Aconselhamento sobre Baterias”, composto por consultoras externos, especialistas acadêmicos e pesquisadores que irão trabalhar para manter uma visão clara e objetiva em relação a segurança de bateria e inovações do produto.

O Grupo de Aconselhamento sobre Baterias é formado por:

– Clare Grey, Ph.D., Professor de Quimica, Universidade de Cambridge
Gerbrand Ceder, Ph.D., Professor de Materiais Científicos e Engenharia, Universidade de Berkeley
Yi Cui, Ph.D., Professor de Materiais Científicos e Engenharia, Universidade de Stanford
Toru Amazutsumi, Ph.D., CEO, Amaz Techno – Consultor

“Por vários meses, juntamente com organizações independentes de especialistas da indústria, realizamos uma investigação completa para encontrar a causa para os incidentes do Galaxy Note 7” Koh afirma.

“Hoje, mais do que nunca, estamos empenhados em ganhar a confiança dos nossos clientes através da inovação, que redefine o que é possível em segurança e é uma porta para possibilidades ilimitadas e novas experiências incríveis”.

Os testes incluiram a inspeção da sobrecarga, a bateria sob altas pressões e sob alta temperatura. Para verificação, ela também foi perfurada.

Análise não só do hardware, como também a verificação dos algoritmos que rodam no software durante o carregamento.

A bateria passou por testes de penetração e compressão.

Mais testes de compressão e verificações do ciclo de vida da bateria.

Testes feitos com Raio-X na tentativa de encontrar mais falhas. Além disso, outro teste com componentes orgânicos totalmente voláteis.

Quebrar uma bateria para olhar cada componente é agora parte do processo de segurança da bateria da Samsung. Ao lado, um teste em circuito aberto, para verificar possíveis alterações na voltagem.

A companhia destaca que o produto não foi comercializado no Brasil. Para mais informações ou para assistir à coletiva de imprensa completa acesse news.samsung.com/br

Imagens dos testes: CNET Magazine

 

Clique aqui para comentar ( )