Design

Como obter feedback de clientes ignorantes

Alguns clientes são colaboradores incríveis, com feedback que você valoriza e respeita. Infelizmente, como designer gráfico, você também encontrará alguns clientes que são beeeem arrogantes. Você sabe do que estou falando… Eles não valorizam suas habilidades – ou profissão – e fazem você se sentir um burro, como se só eles soubessem o que estão fazendo.

Então, como você lida com o feedback desses indivíduos absolutamente dolorosos? Às vezes, pode ser tentador perder completamente a cabeça e quebrar um MacBook Pro (haha!), mas isso não vai resolver as coisas, principalmente olhando para as perspectivas de sua carreira a longo prazo. Deixando as piadas de lado, você é um profissional e eles ainda estão pagando (espero) pelo seu trabalho. Você precisa encontrar uma maneira de trabalhar em conjunto de maneira eficaz para alcançar as metas e os resultados do projeto.

Neste artigo, veremos algumas técnicas que você pode usar para lidar com o feedback do design de maneira profissional e construtiva. Para seu entretenimento/depressão, também incluímos alguns exemplos excelentes de coisas ridículas que designers gráficos ouvem de clientes terríveis… vai vendo!

“Eu acho que está faltando aquele TCHAM.”

1. Mantenha a calma e controle suas emoções

Se você é do tipo de pessoa que não guarda desaforo ou tem tendência a ficar com raiva ou na defensiva, é essencial aprender a manter a calma e o controle ao lidar com comentários de clientes ou colegas de trabalho.

Ser visto como ‘difícil’ causará danos irreversíveis a longo prazo à sua carreira. Quando você está com raiva ou frustrado, é improvável que você receba algum feedback construtivo do cliente que possa usar para realmente oferecer a ele uma ótima solução de design. Há muitas informações na internet para te ajudar a controlar suas emoções quando estiver sob pressão de clientes exigentes ou idiotas.

“O design simplesmente não está falando comigo.”

2.  Reúna dados/informações

Uma das melhores maneiras de combater um feedback ridículo é combatê-lo com a lógica doce e fria dos dados. Se você encontrar pesquisas ou exemplos sobre por que a sugestão deles afetará negativamente o projeto e custará dinheiro (ou usuários, reputação da marca etc.), qualquer pessoa que não seja totalmente psicopata verá o motivo rapidamente.

3. Faça muitas perguntas detalhadas sobre todos os pontos de feedback

Você deve fazer isso com todo o feedback de design que receber, mas pressionar para obter mais detalhes sobre feedback inútil pode ser realmente divertido. Assim que você (respeitosamente) pede a um cliente que justifique ou explique o raciocínio por trás de sua opinião, ele muitas vezes se arrependerá de ter dito que no projeto está faltando aquele “tcham”.

“Algo não está certo. Mas não tenho certeza do que é.”

4. Não use jargões ou siglas do setor que eles não entendam

O conhecimento de domínio em qualquer coisa é fornecido com muitos jargões, siglas e idioma específico. Às vezes, é fácil esquecer que pessoas de fora do seu setor não falam esse idioma. Os clientes odeiam se sentir estúpidos e são muito mais propensos a se tornarem ofensivos ou defensivos se sentirem que não entendem o que você está dizendo na metade do tempo. Sempre explique exatamente o que você quer dizer em linguagem simples e clara (sem parecer condescendente).

5. Classifique o feedback (internamente) como “relevante” e “pronto para ignorar”

Clientes arrogantes amam o som de sua própria voz e se sentem importantes. Mesmo que você se agonize com todos os detalhes, alguns dos comentários que você recebe serão apenas ruídos e totalmente prontos para serem ignorados. O cliente terá esquecido que já o disse quando sai da boca. Apenas certifique-se de que você não ignora nada do que eles realmente falem sério.

“Parece muito com 99Táxi. Você pode fazer com que pareça mais com Uber?”

6. Mantenha a discussão focada no problema que o cliente está tentando resolver e nos resultados esperados

Ao discutir o feedback do projeto com os clientes, sempre vincule suas sugestões ao resumo do projeto e ao problema a ser resolvido. Como essa sugestão afeta a solução e a ajudará ou dificultará?

Também é bom ressaltar que você pode recuar (respeitosamente) se achar que a sugestão é uma ideia muito, muito ruim. Use os dados (tópico 2), se possível, para apoiar seu caso. Eles estão pagando por uma solução e uma certa confiança está implícita.

“Saberei do que gosto assim que eu ver pronto.”

7. Faça o cliente sentir-se necessário, envolvendo-o na solução

Fazer com que seu cliente se sinta útil e envolvido com a solução é uma ótima maneira de colocá-lo de lado. Sempre certifique-se de agradecê-los por suas contribuições e sugestões, se você planeja usá-los ou não. A habilidade final é a capacidade de direcionar sutilmente os clientes na direção que você deseja que eles sigam sem que eles realmente estejam cientes. Essa é uma habilidade aprendida que requer prática e experiência.

8. Obtenha feedback do projeto com antecedência e com frequência

Quanto mais cedo no processo você pode obter feedback – especialmente comentários estúpidos ou inúteis -, menos dor você terá que sofrer no caminho quando tiver investido muito tempo no projeto.

9. Mantenha as reuniões de revisão/alteração de projeto menores possíveis

As reuniões de revisão de design podem ser divertidas para os clientes. Eles olham para muitas coisas bonitas e todos estão interessados ??em suas opiniões. Daí acabam pedindo opiniões de terceiros, familiares, e no fim vem todo mundo para “assistir ao show”. Faça o que puder para manter essas distrações fora das reuniões de revisão. Eles não agregam valor e diluirão o feedback construtivo.

Fique calmo e busque contornar a situação.

Usando critérios SMART para avaliar o feedback construtivo do projeto

Pode parecer óbvio dizer a diferença entre feedback bom e ruim, mas às vezes a linha pode ser muito tênue entre ambos. A aplicação de uma variação dos critérios SMART ao feedback é uma ótima maneira de testar sua validade.

Feedback Específico –“Eu não gosto” é um feedback inútil. Não é específico de forma alguma, o que significa que não há como avançar para encontrar uma solução que o cliente goste.

Feedback Mensurável –Os dados são uma arma poderosa para a tomada de decisões. Pense se o feedback pode ser testado de alguma forma para avaliar o quão construtivo é (por exemplo, através de testes A / B, pesquisa etc.).

Feedback Acionável –Você pode tomar medidas imediatas no feedback para melhorar o design de alguma forma? Caso contrário, provavelmente não é um feedback construtivo.

Feedback Razoável –O feedback construtivo parecerá medido e razoável. Ele se concentra no problema que está sendo resolvido e em como ele influencia os objetivos do projeto.

Feedback Oportuno –Não é construtivo para um cliente solicitar grandes mudanças no design no dia anterior à entrega. Se todos estão fazendo seu trabalho corretamente, isso nunca deve ser um problema.

Conclusão

Mesmo quando o feedback não é construtivo e é feito por um cliente imbecil, as críticas são uma grande motivação para suas habilidades de comunicação. A maioria das técnicas descritas para lidar com comentários inúteis envolve o uso de habilidades de comunicação para resolver o problema. Além de conhecimento e talento técnico, ser um comunicador eficaz é o melhor ativo que você pode ter para ter sucesso no setor de design. Espero que este artigo te ajude! :)

Clique aqui para comentar ( )