Fotolia

O crescente mercado do Retouch

Olá, pessoas!
Já repararam como tem crescido o uso de imagens com alta qualidade e bem manipuladas nas campanhas publicitária?! Não que isso não existisse antes, mas tem crescido muito mais de uns tempos pra cá.  O uso de 3D, excelência em tratamentos de imagem, composições extremamente belas… tem permanecido em muitas das campanhas que vemos todos os dias. É, meus amigos, o mercado tá mudando de novo e a busca por esse tipo de conhecimento só cresce.

Ser um profissional dessa área não é algo fácil. Esse ramo exige muito conhecimento prático em softwares de manipulação, muito treino, uma percepção muito ampla e noções de fotografia, perspectiva e assim vai… Sem falar a extremidade de detalhes que os artistas/criativos precisam prestar atenção para a criação das peças. Luz e sombra, ajustes de cores, criação de texturas… são apenas algumas coisas que são necessárias para a composição da maioria das peças.

Arrivals – Jack Usephot

Quando falamos em retouching, muitas das pessoas nem sabem o que é… Confesso que sou do tempo em que esse termo era conhecido como manipulação de imagem / tratamento de imagem (haha), mas com o tempo, outros termos foram surgindo até chegar nesse.  Retouch significa retocar, e basicamente são técnicas para ajustes e composições de imagens; sejam tirando ou colocando partes, ajustando cores ou fazendo outros ajustes. É exatamente por isso que é complicado explicar esse tipo de trabalho para alguns clientes. É necessário criar argumentos simples e cuidados na hora de defender um trabalho desse nível.

Moreira Estúdio – Agência: Monumenta – 3D: Ponto de Fuga

O mercado de retouching está aumentando, mas isso não significa que vai ser fácil se encaixar nele e atrair clientes. Esse tipo de serviço é geralmente mais caro que projetos de design mais comuns. Devido a quantidade de detalhes envolvidos, habilidades dos profissionais e o tempo em que se envolve em uma dessas criações. Nem todo cliente tem condições ou deseja pagar um valor mais alto para um serviço como esse. Claro, existem clientes e empresas que investem nisso, mas ainda é um número pequeno. Além de conhecimento necessário para o trabalho é necessário vender o seu trabalho. Uma presença online é vital para atrair admiradores e clientes. Tanto em redes sociais (que são os pontos mais fortes), como em sites e portfólios.

Fox Summer Turkey – Jack Usephot

Grandes artistas digitais precisam correr muito pra atrair clientes com bons projetos. São muitas horas de estudo e outras muitas horas para apresentar os projetos na internet. Quem vê o Jack Ushepot, Cauê Andrade, Lucas Rosa ou até o Moreira Estúdio, do amigo Ricardo, pensa que o patamar que eles chegaram foi feito em pouco tempo. Apesar de não saber suas trajetórias, acredito que os seus projetos são fruto de muito tempo e dedicação.

Outra coisa que não podemos deixar de citar são o uso de imagens. Pra quem quer entrar ou já atua dentro desse segmento, o uso de imagens com qualidade é primordial para o resultado final da peça. Por isso, um banco de imagem é essencial para esses artistas/criativos. Aproveitando o encargo, a Fotolia da Adobe tem excelentes imagens com royalties free para download. Ahh, as 5 primeiras imagens são de graça.  Se você ainda não conhece, acessa aqui e confira. ;)

Moreira Estúdio – Agência: Lew’Lara \ TBWA – Fotografia: Hugo Santarém

Para os interessados na área, recomendo o grupo Creative Class do Facebook. Lá existem diversas dicas, cases e muitas novidades com profissionais que estudam a área.

Gostou do artigo? Fala aí nos comentários! ;)

Abraços!

__

Capa por Lucas Batista

Clique aqui para comentar ( )