Design

O que todo designer deveria saber sobre simplicidade

Durante nossa caminhada na terra, uma fase também conhecida pelo nome de vida, objetivamos uma série de coisas. Conforme o tempo passa e alcançamos esses objetivos, vamos empilhando cada vez mais objetivos.

Aos pouco percebemos que nossa vida tornou-se complexa, cheia de vontades e complexidade.

Passamos a invejar as pessoas de vida simples.

Os sonhos mudam e muitas vezes passamos a nos perguntar como alcançar esse ponto. Quais seriam as leis da simplicidade?

Gurus diversos aparecem pelo mercado falando de características das pessoas que possuem uma vida simples. Seria felicidade, seria gratidão, seria x, seria y…

Enfim, o segredo da vida simples às vezes parece uma fórmula mágica guardada à sete chaves.

As leis da simplicidade não são tão secretas assim

Mas e se eu te contar que esse segredo não é tão secreto assim?

Então, se trouxermos uma analogia do mundo dos negócios para o plano de nossas vidas, poderemos descobrir muito com pouco; apenas analisando exemplos de sucesso.

Em As Leis da Simplicidade, John Maeda propõe dez leis para balancear simplicidade e complexidade nos negócios, na tecnologia e no design – diretrizes e orientações para precisar menos e, de fato, ganhar mais.

Maeda – professor do Laboratório de Mídia do MIT e designer gráfico mundialmente reconhecido – explora a questão de como podemos redefinir a noção de “aprimorado” para que isso nem sempre signifique alguma coisa a mais, alguma coisa acrescentada.

Como podemos ser mais simples?

A verdade é que, o que podemos aprender nessa leitura é que não é necessariamente benéfico adicionar funções, sejam elas tecnológicas ou de qualquer outra finalidade, só porque podemos fazer isso. As leis da simplicidade pode ser considerado uma bíblia para nos lembrar sempre que menos é mais, que a simplicidade é o maior nível de sofisticação.

O conciso guia de Maeda para a simplicidade numa era pós-moderna e digital, nos mostra como esse valor pode ser o alicerce de empresas e também, de seus produtos – como isso pode guiar os negócios e a tecnologia.

Podemos aprender a simplificar sem sacrificar o conforto e o significado e podemos alcançar o equilíbrio. Foi assim para mim em 2010, e tem sido assim todos anos quando resolvo reler esta obra.

As dez leis da simplicidade:

1 – REDUZIR

A maneia mais simples de alcançar a simplicidade é por meio de uma redução conscienciosa.

Não faça seu usuário, público ou qualquer outra pessoa envolvida no processo pensar. O mantra de menos é mais precisa ser repetido diariamente, até tornar-se uma cultura.

Não crie ruídos.

2 – ORGANIZAR

A organização faz com que um sistema de muitos pareça de poucos.

Não é atoa que vemos sistemas orientais despontarem entre os mais eficientes da gestão moderna. Através de mecanismos de organização – Sistema 5S e o Kanbam, por exemplo – a categorização de tarefas, demandas e pessoas torna-se eficiente.

3 – TEMPO

Economia de tempo transmite simplicidade.

Mas não apenas isso, traz lucros também. Sua empresa – ou você – deixam de desperdiçar tempo e consequentemente dinheiro.

Foco é a palavra de ordem.

4 – APRENDER

O conhecimento torna tudo mais simples.

5 – DIFERENÇAS

Simplicidade e complexidade necessitam uma da outra, parece estranho, mas é verdade.

Diferença é a força motriz da inovação, da mudança. Através dela conseguimos perceber o quão perto, ou quão distante estamos da simplicidade.

6 – CONTEXTO

O que reside na periferia da simplicidade é não-periférico.

Contexto é o que permeia qualquer coisa, fazer sentido depende do contexto.

Assim como para o conteúdo, para simplicidade depende muito do contexto.

7 – EMOÇÃO

Mais emoções é melhor que menos.

8 – CONFIANÇA

Como diria o Mestre Yoda: Na simplicidade nós confiamos.

9 – FRACASSO

Assim como no empreendedorismo, falhar faz parte.

Algumas coisas nunca podem ser simples.

10 – A ÚNICA

A simplicidade consiste em subtrair o óbvio e acrescentar o significativo.

Conclusão

Por mais simples que queiramos demonstrar que é o caminho, alcançar a simplicidade é difícil.

Requer muita resiliência, tentativa e erro.

Muito provavelmente, você não alcançará a simplicidade de primeira, então relaxa e mantenha o foco. A vida se constrói dessa forma: com valores sólidos e tentativas constantes de evoluir.

Como você tem se preparado para ser mais simples em seus projeto?

* Conteúdo originalmente publicado no blog da Elemento.

Clique aqui para comentar ( )