Fotolia

Quebrando Mitos do Design – parte 1

Quem trabalha com Design, ama essa área, formou-se nesta, estuda ou é um entusiasta da classe, sabe que nosso universo particular (nem tanto mais) está recheado de mitos legais e outros nem tanto. Vamos analisar alguns pontos destes, à luz de que alguns desses mitos são realmente desnecessários e a gente precisa começar a ir quebrando aos poucos – ou de vez, mesmo.

Hoje, vamos ver a questão de um mito bem famoso em nossa área: freelancer de Design e/ou outro tipo de designer,  não é organizado.

Esse é um dos mitos mais grosseiros e agressivos que permeia nossa classe, mas infelizmente, como a maioria dos preconceitos, não é uma ideia infundada, mas logicamente, seria tolice acreditar que todo designer é realmente desleixado e sem noção organizacional de seu tempo, sua grana, documentos e afins.

Pois bem, ver o designer como uma criatura desorganizada já é, por si só, um ataque ao termo em si. Design tem relação direta e direcionada a projeto, desenho, planejamento. Assim, o mínimo que se espera de um profissional (formado em nível superior ou não – assunto para um outro momento), é que este tome as rédeas de suas funções e atue de forma realmente centrada e organizada, mesmo que sua pegada de trabalho seja mais informal e artística.

Um arsenal de elementos com proposta profissional é um ótimo investimento e um forte aliado nessa postura organizada de quem atua com Design (do ponto de vista criativo). Primeiro porque abre um leque de possibilidades de uso gráfico em suas peças e segundo porque o fato de se fazer investimentos profissionais em sua área já vai te fazer pensar (e agir) como um verdadeiro profissional organizado que precisa ser. Boa construção textual, interpretação, boas noções de atratividade, fontes premium sempre que necessário, banco de imagens com fotografias realmente relevantes (como o Fotolia, da Adobe) e ícones personalizados para projetos mais robustos são alguns do aspectos criativos que por si só já estabelecerão uma postura mais organizada em seus projetos.

Ver o Design como um conceptivo de ideias em detrimento de uma habilidade para domar uma ferramenta ou programa de edição gráfico é essencial para a reputação de um designer que deseja ser visto como tal. Desorganização não tem nada a ver com Design e é bom lembrar que no Design, os conceitos são evidentemente significativos e relevantes. Aqui se entende bem o porquê de o Design dever ser visto como algo mais valoroso do que o que temos visto por aí. Pois como citado por Jeffrey Veen, “Matemática é fácil; design é difícil”.

Quando um profissional criativo percebe que a ideia de Design vem primeiro ao ato de sentar em frente ao programa (da Adobe ou não) e começar a construir a versão gráfica daquilo que foi pensado anteriormente, aí já é um passo essencialmente importante em sua jornada como guerreiro criativo. Em suma, para entender que organização é algo inerente ao designer, vale a máxima de que concepção está antes de construção.

Clique aqui para comentar ( )