Cinema e Séries

Traumas de infância vêm à tona em It: Capítulo Dois

Não há dúvida que a obra de Stephen King é um poço sem fundo de contos horripilantes. Apenas em 2019, estamos na segunda adaptação para o cinema de uma história do mestre do terror (a primeira foi o remake de Cemitério Maldito). Desta vez, um único filme não foi suficiente para contar todos os percalços dos protagonistas, então, a solução de roteiro encontrada para dar fidelidade à trama foi a divisão do livro de 1.100 páginas em 2 partes. Aqui, estamos diante da sequência do estrondoso It: A Coisa (2017), responsável pela maior bilheteria de terror da história do cinema.

A subdivisão do longa marca a passagem de 27 anos entre as duas partes. Em It: A Coisa, um grupo de crianças lidava com o massacre infantil comandado por Pennywise, o palhaço que tinha acesso às vítimas através da rede de esgoto da pequena cidade de Derry. Agora maduros, vivendo vidas bem sucedidas e longe da terra natal, um acontecimento faz com que Mike, o único membro do Clube dos Otários que ainda vive no local, entre em contato com seus antigos amigos de infância para cumprirem a promessa que fizeram quando derrotaram Pennywise pela primeira vez: aniquilarem definitivamente a ameaça do palhaço.

É interessante analisar a construção do horror em torno dos traumas que vêm à tona a partir do momento em que homens e mulheres de madeixas grisalhas dedicam atenção ao passado marcado pela violência física e psicológica imposta por Pennywise. O filme se torna até um pouco mais longo do que o ideal justamente para esmiuçar os dilemas pessoais de cada um dos convocados para lidarem com o retorno do arlequim maligno. O roteiro do filme se debruça sobre os pontos controversos não resolvidos e simplesmente engavetados pela vida corrida, adulta e excessivamente preocupada com o futuro. Pennywise traz a reflexão sobre o que as pessoas se esforçam para ocultar diante da aparente vida perfeita.

A ambientação de transição traz uma Derry lidando com a violência de temática moderna. Um ataque de homofobia interrompe a diversão em um parque depois de um beijo gay. Beverly Marsh adulta sofre violência doméstica de um marido ciumento. Nota-se que os problemas juvenis repercutem e fomentam os adultos vistos em tela. Insegurança, homossexualidade ocultada, submissão a relacionamentos abusivos, conformismo, culpa pela morte do irmão, negação, medo do passado é a receita do terror de It. O pouco tempo de cena dedicado à figura do palhaço é suficiente para despertar no grupo seus temores mais íntimos.

 A segunda geração do elenco, encabeçada por Jessica Chastian (escolhida por unanimidade entre atriz jovem, diretor e equipe), James McAvoy (frágil como Hedwig e controlado como Dennis – Fragmentado o tornou inesquecível), Isaiah Mustafa, Bill Hader, Jay Rian, Andy Bean e James Ransone dividem espaço com a geração juvenil (a volta ao passado é comum para justificar e esclarecer pontos para quem não conferiu a primeira parte da trama) e constroem um roteiro motivado por causa (na infância) e consequência (27 anos depois).

Os jump scares são orquestrados pela trilha sonora pontual de Benjamim Wallficsh (o mesmo de Blade Runner 2049). O detalhamento de som do longa garante que a experiência IMAX, XD, XPlus ou similar vale a pena ser levada em consideração. Vale o lembrete de que o filme se debruça mais sobre o medo do que sobre o susto (embora existente) vindo da interferência de Pennywise sobre as rotinas dos Otários. A fotografia extrai o melhor do cenário rural esverdeado e contrasta calmaria com horror. O asfalto tranquilo oculta o terror do esgoto e é para lá que o público é direcionado pelas lembranças dos jovens Ben, Mike, Bill, Eddie, Richie, Stan e Beverly e pela coragem dessas versões crescidas.

Conclui-se que It: Capítulo 2 é eficiente em sua missão de aterrorizar com base no medo do passado e nos traumas fundados a partir da infância. Pessoas maduras tremendo como crianças por causa de uma lembrança geram uma mensagem forte, verdadeira, irrecorrível e horripilante para adultos: ninguém se livra de quem é do que traz. Pennywise é o terror do passado que coage gente grande a lidar com suas crianças interiores amedrontadas.

It: A Coisa estreia nesta quinta-feira, 5 de setembro. Confira os trailers nos links abaixo:

//www.youtube.com/watch?v=9hTiR6qD3Ow

//www.youtube.com/watch?v=h6FzEp2FLPo

Clique aqui para comentar ( )