Artes

Entrevista com o ilustrador e professor Murilo Araújo

Murilo Araújo é um ilustrador e professor de Guarulhos/Sp. Com um estilo marcante, um portfólio incrível e anos de experiência, o artista nos recebeu em sua escola para contar um pouco da sua história pra gente em uma conversa descontraída entre um café e outro.

Várias dicas e um bate papo sobre o mercado na íntegra pra vocês, confere: 

Pra começar conta pra gente um pouco sobre você, da onde veio, como iniciou sua carreira e etc. 

Eu vim de vários lugares (risos). Já morei em São Paulo, no interior e  um tempo em Mairiporã. Agora estou há quase dez anos em Guarulhos. Minha carreira como ilustrador começou com um processo de busca, tateando, tentando aprender as coisas. Eu gostava de desenhar, mas não sabia exatamente como funcionava a profissão de ilustrador. Fui autodidata por muito tempo e por muito tempo pensei nisso como um orgulho, mas com a experiência senti falta de um método e do apoio de um professor, mas  os cursos na época eram muito caros para as condições. Com onze anos já produzia quadrinhos e ilustrações bem influenciadas pelo mangá e animações da época como Cavaleiros do Zodíaco e games como Street Fighter. Aos poucos fui evoluindo nas condições que eu tinha e foi o que me levou a continuar.

Em relação a sua formação, cursos e tudo mais? 

Fiz Educação Artística, e minha formação me ajudou muito hoje em relação ao ensino e o que faço como professor. Já como ilustrador, a faculdade não chegou a influenciar muito o que produzo hoje em dia.

Quando foi que rolou o seu primeiro job profissional? 

O primeiro trabalho profissional surgiu logo após minha formação no colegial, aos dezoito anos. Comecei a trabalhar no Jornal Cidade de Mairiporã, trabalhando com charges semanais. Foi um desafio, já que era uma linguagem totalmente diferente das figuras de quadrinhos  que estava acostumado a fazer. Foi um ano de trabalho bem bacana. Mais tarde conheci o pessoal do Espaço Cultura de Guarulhos, onde tive meus primeiros contatos com o ensino, me preparando para trabalhar como professor.

Como você encontrou o seu estilo como artista e o que você recomenda de materiais e referências? 

Que estilo? (Risos). Engraçado que não consigo enxergar meu estilo com tanta clareza. Basicamente o meu estilo são os meus vícios como artista, o jeito que faço olhos, mãos, expressões e etc. Minha principal influência é o mangá, artistas como Takehiko Inoue, Nobuhiro Watsuki, Hayao Miazaki, caras com estilo e traço bem marcantes, como o próprio Akira Toriyama, do lado ocidental, temos Sergei Kolesov, Leinil Francis Yu ,Setevens Macniven, Sean Gordon, Frank Frazetta,Dave Rapoza,Anders Zorn e Will Murai.

Sobre materiais, sempre gostei de pincéis arredondados e finos para trabalhar com nanquim, pincéis chatos para trabalhar com guache, lápis carvão, aquarela, bico de pena e canetas técnicas para arte-finalização. Hoje em dia trabalho muito com pintura digital, no caso uma Wacom Cintiq e o velho aliado Photoshop.

Quais são os trampos que você mais se orgulha?

Uma das ilustrações que mais me orgulho é uma arte conceitual onde ilustrei um garoto e um pequeno cãozinho do lado e no fundo um colosso se formando nas nuvens no horizonte. Tenho muita vontade de fazer um Paint Over desse trabalho.  Outra que gosto muito é uma arte que fiz para o Tomb Raider Contest. Também tem a ilustração que fiz para a revista Mundo Estranho em uma reportagem sobre Game of Thrones e o Senhor dos Anéis. Essas são as que tenho mais carinho no momento.

Na sua opinião, qual a maior dificuldade para quem está entrando no mercado agora? 

Acho que o maior problema do ilustrador atualmente é a falta de informação. Quando um trabalho é requisitado muitas vezes o valor do trabalho não é reconhecido. Todo os motivos que levam ao preço final de uma ilustração. Para mim o mais importante é ter uma relação entre o tempo gasto em material estudo e produção e o tempo de experiência do ilustrador. A maior dificuldade, com certeza é a valorização do trabalho.

Como está sendo empreender na área de ilustração? 

Sempre tive vontade de ter um negócio próprio, seja uma escola, studio, etc. A escola foi um passo maior, eu e meu irmão, meu sócio hoje, decidimos arriscar e com certeza foi uma das melhores coisas que podiam acontecer. Nós trabalhamos muito, mas temos total convicção do que queremos passar para os alunos. Na nossa escola não existe aquela ideia do professor como o mestre de artes marciais que nunca revela seu segredo, pelo contrário, incentivamos os alunos a sempre lutar pelos seus objetivos e se tornarem melhores do que nós, professores. É nisso que acreditamos.

Um ping pong agora, pra descontrair. 

Um Livro : Senjor dos Anéis

Um filme: A Origem

Uma série: Black Mirror.

Um Super Héroi: Batman

Um game: The Last of Us

Aquela música que não pode faltar na playlist: The Wall, Oasis

Pra terminar, uma inspiração pra quem tá começando. 

Leve o tempo que for pra conquistar seus objetivos, mas nunca recue, por que a vida vai querer te dissuadir.

Você pode ver mais trabalhos do Murilo em:

www.behance.net/muriloaraujoart

facebook.com/muriloaraujoart

halftones.com.br

Até a próxima. ;)

 

Clique aqui para comentar ( )