Design

O Processo de Naming

O naming é o trabalho de criação do nome. A identidade visual começa quando se tem o nome. É uma fase tão com também decisiva para o sucesso da empresa. Existem nomes que são esquecidos, existem nomes que nunca nos esquecemos, existem nomes que nos parecem amigáveis, com proximidade, existem nomes engraçados. O estudo do nome deve ter em conta a sua facilidade de pronúncia, escrita e estar assente à realidade. Pode parecer que não, o sucesso de uma empresa é também consequência de uma escolha criteriosa e acertada do nome.

O processo de naming por vezes pode ser extremamente longo e cansativo, para alguns. Um nome pode parecer simpático para uns e pode ser ignorado por outros, por isso a importância de estudar de que modo o nome impacta nas pessoas. Um nome memorável pode ser o princípio de um grande caminho para a empresa. Afastar o ego, e pensar de forma menos afectiva, sendo criterioso e imparcial ajuda a escolher o nome certo, evitando nomes complexos e sem significado para o público, só porque faz muito sentido para o empreendedor ou fundador da empresa.

É cada vez mais recorrente termos pessoas que atribuem seus nomes às suas empresas e marcas, o que por vezes dá certo, no entanto é necessário perceber que existem nomes que são complexos, outros difíceis de pronunciar, alguns extremamente longos, outros são um simples improviso que pode se repercutir.

Quando o Naming é improvisado e os nomes têm conotações negativas, os resultados são prejuízos. Ex: Nova na Espanha (“No Va” em espanhol = não vai), Monday nos EUA (considerado o pior dia da semana pelos americanos), Totvs no Brasil (difícil leitura, exige explicação), Pinto (Ford) no Brasil. (ABA, 2010)

 

Categorias

Os nomes de empresas podem ser divididos em categorias, entre: Descritivos: Oi, Ford, Telefônica e Volkswage. Síntese: Bom-Bril, Minalba, Petrobras e Kibo. Invenções: Xerox, Exxon e Colgate. Arbitrários: Sonho de Valsa, Brahma, Apple e Rainha. Sigla: MCEL, FIAT, IBOPE, BMW e TDM.

 

Processo de naming

A ABA – Comité de Branding, na sua publicação “Guia de Identidade Visual e Naming” indica que o processo de naming segue os seguintes nove passos importantes:

  1. Briefing / Fundamentos
  2. Long-list (300 a 500 nomes)
  3. Short-list (20 a 30 nomes)
  4. Pré-decisão (15 a 10 nomes)
  1. Busca legal
  2. Testes de nomes-candidatos (4 a 6)
  3. Avaliação dos candidatos
  4. Decisão final – nome da Marca OK
  5. Registros legal.

 

Durante o processo de listagem e escolha de um nome, reflectimos sobre o que realmente faz sentido para a instituição, percebemos que tipo de pronúncia podemos ter para o nome da empresa. Podemos testar como poderia funcionar o nome em diferentes situações, e como é que outras pessoas são capazes de memorizar e dizer correctamente. O processo de naming é antes de tudo, a primeira fase para que uma empresa ganhe corpo e existência. A criação da identidade visual só passa a existir quando já existe um nome resultante de um longo e exaustivo caminho para a decisão.

Clique aqui para comentar ( )