Design

Cinemagraph, a fotografia em movimento

O termo pode parecer estranho, mas você provavelmente já viu um GIF “artístico” por aí. Na verdade o Cinemagraph ou Cinemagrafia é o termo utilizado para curtas animações com movimentos repetitivos (em looping). Esses Gifs incomuns criam uma ilusão de ótica, que a primeira vista causa uma confusão na cabeça. Não dá para saber se é um vídeo com alguma parte estática, ou uma fotografia com alguma parte em movimento. Na verdade não é um nem outro, e sim a junção dos dois. É possível criar cinemagraphs apenas com vídeos, apenas com imagens, e com imagens e vídeos.

Essa técnica foi inventada pelos estadunidenses Kevin Burg e Jamie Beck, em 2011, criando um novo conceito para fotografia e tendências para imagens digitais. Kevin e Jamie vivem e trabalham na cidade de Nova York criando fotografias, vídeos e cinemagraphs para a moda e campanhas publicitárias, em seu estúdio.

De lá pra cá, vários outros exemplos podem ser achados na internet onde as cenas são as mais diversas. Pode ser trecho de algum filme ou simplesmente uma cena com uma xícara de café com fumaça, uma rua com carros, chuva, água, fogo, luzes piscando, etc. O que vale é a criatividade!

Parece extremamente complexo. Mas não é. O segredo é encontrar (ou criar) uma forma de deixar alguma parte num looping perfeito, onde o expectador não conseguirá ver a “emenda”. Ou seja, onde começa e onde termina a animação. Para chegar a esse resultado, a imagem captada, seja através de vídeo ou fotografia, precisa ser feita com a câmera parada, de preferência num tripé.

Depois, é preciso mascarar (ocultar ou revelar) o que queremos deixar em movimento. Em seguida exportamos em GIF, através do comando Exportar > Salvar para a Web. Para ver o GIF rodando é necessário abrir com algum navegador de internet. Caso queira postar no Facebook é necessário uma URL. No site Gyph é possível criar facilmente.

Se for feita a partir de um vídeo com a câmera em movimento, é um pouquinho mais trabalhoso. No exemplo acima, o ator Jack Nicholson na clássica cena do filme “The Shinning“, (O iluminado em português), está estático, onde apenas mão e olhos se mexem. Para chegar a esse resultado, é necessário primeiramente extrair um frame da cena para ter uma “foto”. E depois mascarar as partes em movimento em softwares gráficos como o Adobe Premiere, After Effects ou Photoshop.

No exemplo apresentado aqui, mostro duas formas de criar no Photoshop: uma com imagem e vídeo (Xícara de café) e outra apenas com imagens (Taxi em Londres).

O grande Walter Mattos ensina a criar apenas com vídeo numa aula extramente detalhada. Vale a pena conferir também!

Bom, por hoje é só! Não esqueça de se inscrever no canal do Design Culture e dar aquele like =D. Me diga o que achou da matéria e também do vídeo. Mande suas dúvidas e sugestões!

Veja também as aulas de Mockup de camisa: http://zip.net/bbtHx5
Efeitos criativos com máscaras de corte: http://zip.net/bvtH5n

 

Ahhh, me siga nas redes sociais!
Youtube, Behance, PinterestFacebook

Forte abraço!

Fontes: cinemagraphs.com; Wikipedia; tangerinemag.com.br/

Clique aqui para comentar ( )