Design

O luxuoso ramo do design de joias

Área que vem ganhando cada vez mais força no ramo de criação, o design de joias é uma interessante e luxuosa área que une o design à moda e tem se tornado ainda mais valioso no mercado. O designer de joias tem a função de desenvolver croquis dos produtos, modelos, e também realizar processos de restauração de peças. Ele deve estar presente em quase toda a fabricação, pois é ele quem escolhe as cores a serem utilizadas, formatos, cravações e lapidações das pedras (ou gemas). O processo de fabricação de uma joia ainda hoje é predominantemente artesanal, visto que é preciso que cada peça seja manuseada com muita delicadeza e profissionalismo. Quase sempre é um ourives que exerce essa função.

Joias sempre foram consideradas sinônimo de luxo e poder, desde tempos antigos onde monarcas se ornamentavam o quanto podiam para deixar claro sua forte influência e soberania sobre os demais na corte. Nos dias de hoje toda essa ostentação já não é vista em muitos lugares, mas ainda assim possuir joias, ou até mesmo imitações muito bem feitas, é sinal de poder e gosto refinado.

Para que o criador de joias possa fazer um bom trabalho em seus produtos, é essencial que ele conheça alguns termos técnicos no processo de fabricação dessas peças. Além disso, também é fundamental que se conheça os tipos de pedras e suas variações, assim como estar a par das tendências do mercado que estão vigorando no momento da criação.

CRAVAÇÃO

A cravação nada mais é do que a maneira como a pedra é presa na peça. Dessa forma, o designer precisa definir na hora de sua criação qual  cravação será mais adequada ao tipo de pedra escolhida  e à estética da joia. As cravações do tipo Inglesa (em que um aro “pressiona” todo o redor da gema) e a de garras são as mais comuns no mercado joalheiro.

 

 

LAPIDAÇÃO

A lapidação é essencial para que uma pedra se torne esteticamente bonita para compor uma joia de luxo. Com ela, as pedras antes encontradas em seu estado bruto ganham brilho, e destacam de forma mais elegante as suas formas. Abaixo você pode ver outros tipos de lapidações em gemas

QUILATE

Quando se fala em quilates, pode-se estar designando o termo tanto à pureza da peça quanto ao peso. Isso porque para pedras preciosas, o quilate se refere a uma unidade peso, em que 1 quilate equivale a 200 miligramas de uma pedra. Já com o ouro, o quilate se refere à pureza do material no produto em que se encontra. Dessa forma, se uma joia é criada com a mistura entre o ouro e outros metais (geralmente prata ou cobre), na maioria das vezes a pureza desse ouro é 18 quilates (18 partes de ouro + 6 partes de outros metais). Se a peça for constituída de ouro puro (24 partes), esse ouro terá 24 quilates.

Além de todos esses detalhes, escolher a pedra que fará parte da peça também é de extrema importância para um designer de joias. Há inúmeras opções, que variam cores, texturas e opacidade. O designer deve escolher a que melhor se adeque ao seu conceito e estética. Muitas das pedras de luxo são encontradas no Brasil, o que tem ajudado para que o país, cada vez mais, se firme no ramo joalheiro de luxo do mundo todo, que tem hoje gigantes como a Tiffany & Co. como uma de suas principais referências. Abaixo você pode conferir algumas das principais gemas utilizadas no mercado de joias.

Dessa forma, o profissional que deseja se aventurar nesse criativo e luxuoso ramo do design, deve levar consigo uma ampla mala de conhecimento e criatividade para criar produtos que sejam ímpares, usáveis e comerciais. Esse ramo, cada vez mais em ascensão no Brasil e no mundo, tem dado incríveis oportunidades para novos profissionais capacitados, e você pode ser um deles.

Clique aqui para comentar ( )