Freela e Startup

Avaliando a performance de seu projeto: conheça o BSC

Prepara um café, liga o modo “atenção” e vamos para uma conversa longa sobre uma metodologia que merece nossa atenção e que pode gerar bons resultados aos seus projetos e de seus clientes,


Avaliar os movimentos e desempenhos de seu negócio é essencial para traçar estratégias efetivas de Gestão e Desenvolvimento. Pensando nisso, em 1990, fruto de um estudo envolvendo diversas empresas patrocinado pelo instituto Nolan e Norton, surgiu o Balanced Scorecard (BSC). Sua principal motivação foi uma realidade muito próxima de nós, mas que tem outros motivos atualmente, a falta de metodologias eficientes na medição de desempenho.

Encurtando a história, os professores Robert S. KAPLAN e David P. NORTON – professores da Havard Business School – apresentaram este modelo que funciona basicamente como um sistema auxiliar para tomada de decisões e gestão estratégica. Ficou complicado de entender? Calma, vamos entender melhor.

Para simplificar BSC – traduzido ao “pé da letra” – significa “indicadores balanceados de desempenho”, sendo assim reuni diversos aspectos importantes para facilitar e acompanhar os passos da sua estratégia. Além disto, gera a possibilidade de mensurar o desempenho em todos os níveis, oferecendo uma integração de toda a equipe em relação a qualidade de todos os processos.

Agora sim! Ficou mais claro de entendermos o porquê de sua grande aceitação e utilização, mas para ficar ainda mais claro e de possível aplicação para você, é preciso compreender que o BSC tem como principal fim o alinhamento entre o Planejamento e a Execução transformando a Missão e a Estratégia em Objetivos e Medidas, fazendo que seja possível – ao contrário de outras metodologias – planejar, gerenciar e alcançar objetivos de longo prazo. Para isso, temos os seguintes objetivos:

  • Esclarecer e traduzir a visão e a estratégia: Em sua grande maioria, as empresas traçam a sua Visão e Missão, mas ela consta apenas no papel. Não sendo refletida no planejamento e tomada de decisão. Traduzir isto é essencial para traçar objetivos e indicadores no Mapa Estratégico, gerando uma relação saudável da gerência e operacional;
  • Planejar, estabelecer metas e alinhar iniciativas: Eficiência na tomada de decisões e planejamento é reflexo de uma clara compreensão da capacidade de sua equipe em relação as metas de execução e crescimento;
  • Melhorar o Feedback e seu aproveitamento: Rever a estratégia adotada é fundamental para o êxito. Nesse aspecto, o feedback é uma ferramenta eficiente para essas análises, tanto do processo em si, quanto a forma como a equipe consegue absorver e praticar as mudanças necessárias;
  • Comunicar/associar objetivos e medidas: Objetivos gerais alinhados com os objetivos específicos de cada parte da sua organização, assegura uma sintonia em todos os níveis.

Perspectivas no Balance Scorecard (BSC)

Para aplicar o BSC é preciso compreender sua estrutura e essa é a chave para um bom uso e otimização dos resultados.

Indo além das medidas de curto prazo, o BSC oferece a possibilidade da geração de uma panorama mais amplo e compreende 4 aspectos/perspectivas principais:

  1. PERSPECTIVA DO CLIENTE – Estamos falando da visão da empresa. Sendo assim, aqui estarão elencados as definições de mercado, público(s) alvo, bem como o valor que está sendo entregue. Indicadores de satisfação são criados para mensurar a assertividade e, em relação aos desejos do cliente, são distribuídos em 4 categorias: prazo, qualidade, desempenho e serviços, além do custo.
  2. PERSPECTIVA DOS PROCESSOS INTERNOS:  Aqui você elencará os processos críticos para realizar as ações desenvolvidas e criar condições para que a organização gere valor para seu cliente, sendo capaz de atrair, reter em seus segmentos, ao mesmo tempo que gera valor para seus stakeholders.
  3. PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO:  Está relacionada com o desenvolvimento dos objetivos e medidas que visam o aprendizado contínuo e crescimento organizacional. Aqui deve ser identificada a estrutura necessária para o crescimento à longo prazo. Capacitação, Pesquisa e desenvolvimento são seu foco principal.
  4. PERSPECTIVA FINANCEIRA – Receita e produtividade são os pontos principais, visando apresentar o resultado econômico que as ações realizadas geraram. Alinhada com a estratégia da empresa, relata sobre como as implementações e execução contribuem para o resultado (ou não). Essa perspectiva também é conhecida como “perspectiva do acionista” por serem os principais interessados na melhor rentabilidade do capital investido.

Até aqui mostrei o conceito e o que compõe o BSC. É de extrema importância que fiquem claros os conceitos e suas relações para que você possa desenvolver de maneira prática.

Então, é hora de simplificar ainda mais e aproveitar três exemplos de aplicação do Balanced Scorecard.

  1.     Estabelecer com clareza a visão de futuro
  2.     Definir os objetivos estratégicos
  3.     Determinar os fatores críticos de sucesso
  4.     Escolher os indicadores para medir e acompanhar o desempenho
  5.     Definir metas, planos de ação e iniciativas

Tudo isso em relação a cada uma das 4 perspectivas.

Vamos para prática? Clicando aqui, você tem acesso à três exemplos da aplicação do BCS para áreas distintas.

Tem dúvidas sobre a aplicação dessa metodologia? Deixe nos comentários.

Sucesso e paz!

 

Clique aqui para comentar ( )